1 viagem de avião

1 viagem de avião

Após umas férias descontraídas e relaxantes, longe do stress do dia-a-dia, uma longa viagem de avião de regresso a casa pode acabar com o descanso e relaxamento obtidos durante as férias. No entanto, se tomar as devidas precauções e seguir as nossas dicas, conseguirá mais facilmente recuperar da longa viagem de regresso.

Embora as seguintes dicas o possam ajudar a recuperar da viagem de avião, essa mesma recuperação vai depender de cada pessoa, de cada corpo e idade. Ninguém recupera exatamente da mesma maneira!

Tanto durante a viagem como nos dias após a sua chegada, beba muitos líquidos: água, sumos de fruta e chá.

Durante longas viagens de avião a pele tende perde muita humidade e vitalidade conduzindo a uma desidratação elevada do corpo, mesmo que tenha bebido muita água durante as suas férias.

Beba muita água durante e após a viagem para ajudar o seu organismo a recuperar. Beba especialmente antes das refeições e depois de tomar café, antes de dormir e ao acordar.

Sumos de fruta são excelentes fontes de vitaminas, ótimas para combater a exaustão.

Alguns chás podem ser desintoxicantes, purificantes, e ajudam o seu sistema digestivo a voltar ao seu normal funcionamento.

A diferença horária entre países provoca, normalmente, o chamado ‘jet-lag’.

Não se preocupe se lhe apetecer dormir fora de horas. Durma e descanse quando lhe apetecer e, claro, quando puder, pois ao regressar à rotina diária vai acabar por regularizar o seu sono.

Não deixe de dormir por ainda não ser a hora normal. Por vezes o facto de ‘aguentar’ o cansaço pode levá-lo à exaustão e piorar o seu estado, dificultando a recuperação do seu organismo.

Um banho é ótimo para estimular os músculos. Alternativamente, uma massagem será também excelente!

Quando vamos de férias mudamos sempre os nossos hábitos alimentares. Ou porque queremos provar as especialidades locais ou porque é quase impossível encontrar algo semelhante ao que cozinhamos em casa.

Comer da nossa comida após as férias sabe sempre bem e é uma grande ajuda para recuperar dos ‘quilos’ que ganhamos a mais e atingir o ritmo normal do nosso organismo.

A diferença horária entre diferentes países pode alterar no início a hora em que temos fome. Mas se formos comendo em pequenas porções quando temos fome, rapidamente nos habituamos ao horário normal das refeições.

Longas horas de voo sentadas são péssimas para o seu corpo. Os músculos tendem a ficar tensos e podem surgir problemas de má circulação sanguínea.

Ainda durante o voo levante-se de vez em quando, estique as pernas, ande um pouco.

Depois de chegar faça exercício. Ao ar livre ou no ginásio, a atividade física vai ajudar a redefinir o seu relógio biológico e a acelerar a sua recuperação.

A melatonina é uma hormona conhecida por diminuir os sintomas do jet lag em cerca de 50%. Melatonina sintética existe disponível nas lojas de produtos naturais e saudáveis.

No entanto não é recomendado para mulheres grávidas, em amamentação, crianças, casais que tentam engravidar ou pessoas com doenças auto-imunes. E é sempre melhor tentar recuperar naturalmente sem recorrer a medicamentos.

Depois destas dicas como se sente? Confiante para uma viagem de longa duração? Partilhe as suas aventuras e deixe-nos a sua opinião!

Source: http://guia-viagens.aeiou.pt/saiba-como-recuperar-de-uma-viagem-de-aviao/


*****

1 viagem de avião

Sabemos que voar mexe com o organismo – essa mudança fica evidente no cabelo bagunçado depois de um voo e no tremendo “jet lag”.

Mas voar leva o corpo a reagir de algumas maneiras não tão óbvias. Veja os sinais de seu corpo dentro de um avião. conheça seu lado aéreo, e sinta-se melhor preparado para enfrentar seu próximo voo de longa duração.

1.No avião, o paladar adormece

Você não pode culpar totalmente a comida de avião pelo sabor desagradável – porque nossas papilas gustativas adormecem durante um voo. de acordo com um estudo de 2010 encomendado pela Lufthansa.

O motivo? O ar seco do avião pode evaporar o muco nasal, e a pressurização da cabine tende a inchar as membranas; as duas coisas impedem uma total identificação dos aromas dos alimentos, tão cruciais para o paladar. Por isso, no ar, você provavelmente não desfrutará das refeições em seu total potencial.

Isso significa uma má notícia para os chefs de companhias aéreas: o estudo da Lufthansa revelou que nossas percepções para salgados e doces são reduzidas em até 30% em altitudes elevadas.

É por isso que companhias aéreas testam os pratos durante os voos ou em simuladores pressurizados de alta tecnologia – e por que vão carregar nos temperos fortes, como cardamomo, capim-limão e curry.

2. O nível de oxigênio do sangue cai, causando sonolência

Certamente os “confortáveis” assentos dos aviões não são os responsáveis por isso – os menores níveis de oxigênio contribuem para a sensação de cansaço. As cabines das aeronaves são pressurizadas para simular uma altitude de 6 mil a 8 mil pés (1.800 a 2.400 metros) na Terra, e o sangue absorve menos oxigênio nessas alturas. Como qualquer esquiador sabe, isso pode causar tontura, sonolência e prejudicar a agilidade mental.

E o que é pior, o sangue não está circulando muito enquanto você está sentado há horas, diz Jeffrey Sventek, diretor executivo da Associação Médica Aeroespacial.

“Em um voo de longa distância, ocorre uma estagnação significativa do fluxo sanguíneo”, diz. “O sangue não está circulando tão bem como deveria, o que reduz ligeiramente os níveis de oxigênio.” Preste atenção nos sinais de cansaço.

3.O sangue se acumula nas pernas e pés.

Quando você está sentado por um longo período de tempo, o sangue se acumula nas pernas e pés. E quando migra das veias para os tecidos ao redor, ocorre o desagradável inchaço dos pés durante o voo.

Em casos extremos e raros, isso pode resultar em coágulos sanguíneos.

O objetivo é direcionar esse sangue de volta ao coração, diz Sventek. Flexione os pés, estique as pernas ou contraia os músculos da panturrilha para que o sangue circule para cima, o que também aumentará os níveis de oxigênio, combatendo a fadiga.

4. E os gases intestinais ficam presos, bem, por todos os lados

À medida que o avião sobe e a pressão da cabine diminui, os gases intestinais se expandem.

Você pode sentir o estômago cheio ou contraído – pense naquela garrafa de água que se expandiu e vaza um pouco quando é aberta em pleno voo.

Então se você tem que soltar gases, deixe-os sair. Ao não fazer isso, pode começar a sentir dor, inchaço ou coisa pior.

O aumento de gases também afeta os ouvidos – durante o pouso do avião, o tubo que permite a entrada e saída de ar para manter a pressão não reage na velocidade necessária, com isso o ar não consegue entrar e pressurizar os ouvidos corretamente. Por isso que engolir seco, movimentar a mandíbula ou bocejar ajuda – isso pode abrir o tubo, deixar o ar fluir e permitir que o ouvido volte à pressão normal.

Os gases podem ficar presos em outras cavidades também, como dentes (causando dor) e sinusite.

5. Seu cérebro não consegue perceber imediatamente a mudança de horário

Toda vez que você cruza dois ou mais fusos horários em um voo, diz Sventek, pode ocorrer o “jet lag”, enquanto seu cérebro se adapta ao novo padrão de luz do dia e escuridão.

Mas os efeitos são menores quando você está voando do leste para o oeste.

O corpo prefere naturalmente um ciclo circadiano (ou uma programação para acordar e dormir) de cerca de 25 horas em vez de 24, Sventek destaca.

Quando você viaja do leste para o oeste, está adicionando horas do dia à sua programação. elevando o total de exposição à luz próximo à marca de 25 horas. Por isso que “pessoas que voam na direção (oeste) regularmente não têm muitos problemas para funcionar bem na Costa Oeste”, diz Sventek.

6.Sua pele perde a umidade

A pressão da cabine e o ar seco circulando removem a umidade da pele. Mas não se preocupe – existem vários bálsamos, loções e poções para trazer sua pele de volta à vida. A regra número um de um comissário de bordo, enquanto isso, é beber água para manter a pele naturalmente hidratada.

Um problema mais sério, no entanto, é que uma pesquisa científica recente constatou que pilotos e comissários de bordo correm o dobro do risco de desenvolver melanoma do que a população em geral, possivelmente porque as janelas dos aviões não bloqueiam suficientemente os prejudiciais raios UV, que são mais fortes em altitudes de cruzeiro.

7. E pode haver uma razão científica pela qual você sempre pede suco de tomate

O ar bombeado dentro de uma cabine de avião é incrivelmente seco, explica Sventek.

E, naturalmente, a umidade quer saltar de lugares com alta concentração (como boca e trato respiratório), para onde há pouca concentração (como a cabine à sua volta).

Exalar todo esse ar úmido resulta em perda de água. Portanto, você fica desidratado, aumentando a vontade de beber alguma coisa. E suco de tomate, tipicamente muito salgado em terra firme, pode ter um sabor menos intenso em altitudes elevadas, onde nossas papilas gustativas têm dificuldade em detectar sabores salgados.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

Source: http://www.brasilpost.com.br/2014/11/21/viagens-de-aviao-organism_n_6197802.html


*****

1 viagem de avião

Não há quem discorde que arrumar as malas e colocar o pé na estrada é uma das situações mais gostosas que podemos vivenciar. Afinal, além de ser uma alternativa para relaxar e curtir momentos com a família, amigos ou até mesmo sozinho, é uma oportunidade para aprender sobre a cultura local, fazer novas amizades e, claro, trazer uma nova experiência para a vida.

Meios de transporte para realizar a visita a algum país ou cidade não faltam. Um que, definitivamente, caiu no gosto dos brasileiros é o transporte aéreo por causa das inúmeras facilidades. Para se ter uma ideia, de acordo com um levantamento realizado pelo Ministério do Turismo, em 2012, o uso do avião para viagens domésticas aumentou 50% se comparado há quatro anos anteriores.

Porém, enquanto para uns é apenas mais uma viagem de avião, para outros é a estréia na utilização desse meio de transporte. E para quem é estreante, é normal que algumas dúvidas comecem a aparecer. Por isso, selecionamos algumas dicas para a tão sonhada viagem não se transforme em um pesadelo. Confira abaixo:

ANTES DA VIAGEM

Passagem: ela pode ser adquirida em agências de turismo, em sites de compras, ou diretamente pelas companhias aéreas, podendo ser por telefone, pelo sistema de venda online ou na própria loja física.

Visto: se a viagem é internacional é importante fazer a solicitação do visto. Primeiramente é necessário o preenchimento de um formulário e fazer a solicitação da entrevista. Como o procedimento demanda tempo, é imprescindível fazer o pedido com antecedência da viagem.

Passaporte: é outro documento exigido em viagens internacionais. Ele deve ser solicitado e emitido pela Polícia Federal. Para retirá-lo é necessário pagar uma taxa no qual o valor é encontrado no site da PF.

Peso da bagagem: a bagagem é sempre um dilema. Enquanto uns carregam coisas mínimas, outros querem carregar acima do peso,  o permitido é o volume de 23 kg para voos nacionais e dois volumes de 32 kg para os internacionais, incluído um volume de mão de 5 kg. No entanto, esse valor pode mudar de acordo com a companhia área escolhida. Sendo assim, sempre faça uma verificação com a empresa.

O que levar: verifique com a empresa aérea se existem restrições sobre o que pode ou não ser levado para outros países. Normalmente, os itens restritos são: bebidas, objetos pontiagudos (como tesouras) e inflamáveis (como isqueiros). E, claro, não se esqueça de adequar o vestuário de acordo com o clima do país.

Etiqueta na mala: para que a sua bagagem não seja confundida e vá parar nas mãos de outra pessoa, não se esqueça de colar a etiqueta com os seus dados. Uma alternativa usada por muitos também é colocar fitas e adesivos coloridos.

Documentação: tenha em uma bolsinha de mão o RG, carteira de motorista, passaporte nacional ou a carteira de trabalho, originais. Em caso de viagens internacionais, o visto, o passaporte e a carteirinha de vacinação também são necessários.

NO AEROPORTO

Chegue cedo: a recomendação é que se chegue com uma hora de antecedência para voos nacionais e duas para voos internacionais.

Check-in: ao chegar no aeroporto dirija-se ao check-in para que a empresa despache suas bagagens e emita o cartão de embarque, no qual possui os números do voo e do assento.

Sala de embarque: após passar no check-in a próxima etapa é a sala de embarque, onde é obrigatório passar por um detector de metais e passar a mala de mão em um aparelho de raios X. Objetos metálicos devem ser retirados antes de passar pelo detector.

Portão de embarque: terminado esses procedimentos, dirija-se para o portão de embarque no qual é apresentado no bilhete. E não se descuide das chamadas, pois, em alguns casos, o portão pode ser modificado.

NO AVIÃO

Explicações das comissárias: já acomodado no assento indicado pelo cartão de embarque, fique atento às orientações das comissárias de bordo. Celulares, por exemplo, precisam ser desligados e fumar dentro do avião não é permitido.

Turbulência: quando o avião balança por causa da pressão do ar não significa que ele vai cair. Normalmente, a turbulência acaba rapidamente. Contudo, é importante ficar sentado e com o cinto afivelado.

DESEMBARQUE

Destino: se o seu voo é com escala, ele fará uma aterrissagem em uma ou mais cidades, mas não é necessário descer da aeronave. Já nos voos com conexão é  necessário trocar de avião. Para isso, sigas as informações dos funcionários.

Balcão de imigração: é necessário passar pelo local em viagens internacionais. Sendo assim, tenha em mãos o cartão de embarque e o documento (na maioria das vezes é o passaporte).

Bagagens: na esteira de bagagens sempre fica um monitor que apresenta de voo qual voo são as malas que circularão por ali. Mas, se a sua não estiver na esteira, busque ajuda da companhia aérea.

Source: http://www.aterceiraidade.com/turismo-para-3a-idade/dicas-primeira-viagem-aviao/


*****

1 viagem de avião

(Imagem: Shutterstock)

Levar um animal de estimação em uma viagem de avião pode ser um verdadeiro desafio em meio à burocracia e exigências das companhias aéreas e ainda existem riscos de não conseguir ou mesmo perder o seu pet no meio do caminho e não chegar ao destino com seu animalzinho de estimação! Pode parecer meio óbvio, mas para qualquer viagem ou mudança, temporária ou não exige planejamento. Veja aqui algumas dicas para te ajudar neste planejamento, principalmente se esta for a sua primeira viagem de avião com um animal de estimação e evite dores de cabeça em sua viagem!

Por necessidade e pela agilidade no transporte, é cada vez mais comum ver animais de estimação em aeroportos. No entanto, este é um processo nada simples. A viagem de avião em si não é tão é tão problemática; a maioria dos incidentes ocorre em solo, de acordo com um levantamento feito pelo site especializado PetTravel .

Evite acidentes como o ocorrido com o gato Louis, que que escapou de sua caixa de transporte no Aeroporto de Guarulhos, São Paulo que desapareceu em setembro de 2014, deixando seus tutores apavorados. O AgendaPet já publicou um artigo sobre viagem de avião (veja no link a seguir), e neste aqui vamos focar em que medidas você pode tomar para evitar perder seu pet no meio do caminho, como aconteceu com o Louis.

Estas dicas valem tanto para quem vai fazer um voo doméstico ou internacional com um cachorro, gato ou outro tipo de pet

Uma viagem de avião, nacional ou cruzando o Atlântico pode ser bastante cansativa para um humano. Imagine para um animal de estimação! Barulhos estranhos, compartimentos de carga e ambiente repleto de pessoas desconhecidas podem ser aterrorizantes para um pet acostumado com a tranquilidade do seu lar. Isso tudo, combinado com o manuseio não apropriado, pode levar a uma fuga se ele perceber uma oportunidade. Para isso, separamos 5 dicas fundamentais que o auxiliarão neste processo:

1. Viagem bem sucedida começa com bom planejamento, desde a compra da passagem!

O sucesso da viagem com seu pet começa na hora de comprar a sua passagem. Evite os vôos com conexões (paradas). Se isto for impossível, tente escolher o trecho com mínimo de paradas, mesmo que custe mais caro. Outra dica é dar preferência aos vôos noturnos, nos momentos de menor movimento nos aeroportos. É uma forma de minimizar sua chance de extravios, e, além disso, um cão ou gato perdido no horário. de ‘rush ’ é mais difícil de ser capturado.

Se possível, opte pela classe executiva (ou primeira!). Existe um espaço muito maior entre os assentos e acesso prioritário para entrar e sair da aeronave. No caso de transporte de pets, não se trata de comodidade, mas sim de necessidade.

Se o seu pet tiver que ser despachado em um compartimento de carga, uma outra dica do site Pettravel é considerar a temperatura da origem e do destino e verificar quais são as condições climáticas: algumas companhias podem recusar a embarcar um animal em casos de temperaturas extremamente altas ou baixas que podem colocar a vida em risco.

2. Escolhendo a caixinha de transporte ideal

(Imagem: Shutterstock)

Antes de adquirir uma caixa de transporte (ou carrier. em inglês) confira om a companhia aérea as medidas e dimensões aceitas e se o tamanho dela atende ao seu pet com conforto. Como regra, o pet deve poder ficar de pé com as quatro patas, e girar no eixo confortavelmente. Caixas muito grandes, também não são indicadas: além de a companhia aérea cobrar mais, não funcionará como "cinto de segurança" em caso de freadas bruscas ou turbulência.

Os carriers devem ser de plástico de boa qualidade, com trancas seguras o suficiente que não permita que seu bichinho possa abrir, além de possíveis fugas.

(Imagem: reprodução Mercado Livre )

Uma boa dica é reforçar com abraçadeiras plásticas as trancas da porta e as junções das 2 partes da casinha (chão e teto). Dessa forma, você reforça a segurança e garante que, caso necessário, seja fácil de abrir o carrier (não use metal ou similar). Se o seu pet for daqueles que adora roer coisas novas, coloque as abraçadeiras de forma a evitar que o pestinha as mastigue.

Algumas companhias aéreas não permitem a presença de animais na cabine. Mas fique tranquilo, pois o local de carga de animais vivos possui temperatura controlada e são pressurizadas!

3. Sempre que possível, opte por levá-lo na cabine. Sim, é possível!

De modo geral, cargas que não excedam 10 Kg (soma do peso da caixa e do animal) são permitidos na cabine de algumas empresas áereas. Se seu pet é deste tamanho, procure as empresas que permitam. Isso elimina 80% do risco de perder um pet .

Nestes casos, opte por carriers mais leves ou até mesmo de tecido, caso aceito pela companhia aérea. As regras de tamanho prevalecem: seu pet tem que viajar confortável. O agravante aqui é que a caixa de transporte terá que ir sob seus pés, entre sua poltrona e a da frente. Por isso, cheque antes com a companhia aérea qual aeronave será usada e peça as dimensões exatas deste espaço para saber se a caixa caberá. Saiba que se o carrier não couber neste espaço, ele não poderá viajar na cabine, e você correrá um risco elevado de perder a viagem por completo. A dica aqui é, seja meticuloso!

4. Durante o trajeto, JAMAIS abra a caixa de transporte!

Antes de tudo, é sempre válido acostumar o seu animal de estimação a ficar um pouco na caixa: faça pequenas viagens 'de mentirinha' com ele antes da viagem definitiva. Esta é uma forma a diminuir o medo de forma gradual e fazer com que ele se sinta seguro em uma caixa de transporte.

Se o seu animal for na cabine: JAMAIS abra a caixinha de transporte durante a viagem. não importa quão mansinho seja. Sequer abra a porta. Não só você corre o risco de perdê-lo, como de ser expulso do voo.

(Imagem: Shutterstock)

Se o animal for embarcado em outros compartimentos de carga, é muito importante certificar-se da devida identificação não só da caixa mas também do seu pet . Mantenha sempre seu animal de estimação com uma coleira com tag de identificação e atenção com idioma em casos de viagens internacionais. Caso ele não esteja acostumado a usar,começar a usar em casa, em tempo integral, umas 2 semanas antes da viagem, sendo uma recomendação válida tanto para cães ou gatos.

Em caso de conexões e se você estiver no mesmo voo, deve ser possível que a companha aérea permita que você tenha acesso e possa ver o seu pet no período que estiver aguardando o próxima etapa da viagem.

Existem rastreadores GPS para animais que podem ser úteis nesses casos. Difíceis de encontrar no Brasil, estes equipamentos ainda possuem muitos problemas, em especial o tamanho e a autonomia da bateria, mas para situações específicas como esta podem ser bastante úteis. O AgendaPet já falou sobre o tema no artigo abaixo:

GPS para animais, você nunca perderá seu pet !

Existem outros acessórios que podem ser adaptados para este uso e podem ser muito úteis nestas horas. Localizadores de bagagem como o TRAKDOT . encontrados à venda em lojas especializadas no exterior, podem ser acoplados à caixa de transporte dando maior controle a você sobre a localização da mesma. Não vai resolver o prolema caso seu pet fuja, mas vale considerar.

5. E quando o pior acontece e seu pet some?

(Imagem: Shutterstock)

Quando seu pet se perde é importante saber onde recorrer. Nos aeroportos brasileiros, problemas assim devem ser notificados imediatamente além da companha aérea responsável e também a Anac e o responsável pelo Ministério da Agricultura do aeroporto onde ocorreu o incidente. No caso de morte ou perda do animal, cabem as medidas judiciais por danos materiais e morais.

No caso do gato Louis, perdido no Aeroporto de Guarulhos, depois de uma campanha nas redes sociais onde foi oferecida recompensa de R$ 5 mil e muita insistência dos proprietários, a adminstração e a companhia aéreac oncordaram em auxiliar nas buscas. Foram contratados profissionais especializados e montadas armadilhas próprias que permitiram a sua captura.

Se você suspeitar ou constatar que houve negligência, vale coletar, fotografar ou filmar todas as evidências e procurar imediatamente a ouvidoria da companhia aérea, tendo em mãos a documentação do seu animal .

Seguindo estas dicas, evite possíveis dores de cabeça e tenha uma viagem tranquila e sem extravios. Estes cuidados podem parecer excessivos, mas não são. Viajar de avião com um pet é uma tarefa bastante complexa e deve ser planejada e executada com o máximo cuidado.

Tem alguma dúvida em relação os cuidados com os pets. Curta a página do AgendaPet no Facebook. siga o perfil do AgendaPet no Twitter e veja mais novidades sobre o mundo animal! No AgendaPet, você encontra e agenda serviços com os melhores profissionais pet da cidade. Confira seus perfis detalhados e agende o serviço pela própria web. Assim, fácil e seguro!

Source: http://www.agendapet.com.br/2014/09/vai-viajar-de-aviao-cinco-dicas-para-nao-perder-o-seu-pet-no-meio-do-caminho.html

15.12.2018

New

31 2015 mar

Pesquisa voos baratos

Pesquisa voos baratos O skyscanner é um motor de pesquisa que permite pesquisar e comparar voos de diversas companhias aéreas...

02 2015 abr

Faça sua pesquisa aqui

Promocoes passagem Comunicamos anteriormente que sairíamos de férias. mas, calma que já, já, estamos de volta! No dia 2 de março...

21 2014 feb

Viagens em low cost

Viagens em low cost Os voos low cost na Ryanair são uma excelente opção para viajar pela Europa a preços baixos. Neste...

Popular on-line

Voos baratos de madrugada

Voos baratos de madrugadaHome / Passagens Aéreas Promocionais / Viajar de Madrugada é Alternativa para Vôos BaratosQuer viajar de avião, mas acha ... Saber mais...

Qual é a diferença entre a classe turística e classe executiva?

Hoje em dia podemos encontrar bilhetes acessíveis  praticamente em qualquer companhia aérea do mundo. Por exemplo: para os estudantes ou reformados. Frequentemente ... Saber mais...

As melhores ofertas de voos baratos de todas as companhias aéreas e também low cost estão aqui

Actualmente para qualquer potencial viajante, passou a existir uma possibilidade de adquirir passagens aéreas para qualquer voo com condições muito atractivas, sem ... Saber mais...

Testimonials

Bem-vindo ao nosso site! Aqui você pode encontrar os voos mais baratos e hotéis para sua viagem.”

equipa de desenvolvimento, Viagens Aviao

Os nossos parceiros