Custo da viagem

Custo da viagem

Como calcular o custo da viagem de carro

Olá Pessoal!

Para viagens de carro no Brasil a minha dica é usar o Guia Rodoviário 4 Rodas. Recomendo!

mapas.viajeaqui.abril.com.br/gui. eaqui.aspx onde se pode fazer um cálculo simples e menos detalhado, mas com opção de interagir no mapa e etc.

Agora o "pulo do gato" mesmo é a versão em CD-ROM - Guia Quatro Rodas CD ROM Rodoviário (atualmente na versão 2011), bem mais completa, que permite atualizações gratuitas por um ano (pedágios, postos, polícia, etc) que custa nas bancas aproximadamente R$ 40,00 e pode ser adquirido pela internet no site da editora. É uma opção muito bacana pois permite criar roteiros de diferentes maneiras, incluindo paradas, atrações turísticas e pontos de interesse listados no próprio programa (o único senão é que as informações turísticas constantes no programa não são muito completas - o que é perdoável, até porque não é este o objetivo). Inclui ainda previsão com gastos da viagem e passeios turísticos (ingressos, pedágios, abastecimentos, alimentação, hospedagem, etc). Permite ainda estimar o tempo de viagem com base em parâmetros indicados pelo usuário. Os roteiros, incluindo os mapas de referência, podem ser impressos para referência durante a viagem, o que em muitas circunstâncias facilita bastante.

Uso este guia digital em CD desde a primeira versão, lançada em 2007, e é muito prático e preciso. Acho que vale cada centavo do investimento feito na aquisição.

Abraço!

Source: http://www.mochileiros.com/como-calcular-o-custo-da-viagem-de-carro-t18575.html


*****

Custo da viagem

O método do custo de viagem é usado para estimar valores de uso econômicos associados a ecossistemas ou localidades que são utilizados para recreação.

O método pode ser usado para estimar os benefícios ou custos econômicos resultantes de:

    mudanças nos custos de acesso em um local de lazer eliminação de um local de lazer existente criação de um novo local de lazer alterações na qualidade ambiental de um local de lazer

A premissa básica do método do custo de viagem é que o tempo e as despesas do custo de viagem que as pessoas incorrem para visitar um local representa o "preço" de acesso ao local. Assim, a disposição das pessoas em pagar para visitar o local pode ser estimado com base no número de viagens que eles fazem em relação a variação dos custos de viagem. Isso é análogo a estimar a disposição das pessoas para pagar por um bem comercializado com base na quantidade demandada a preços diferentes.

Situação hipotética:

Uma área usada principalmente para a pesca recreativa está ameaçada pelo desenvolvimento na área circundante. Poluição e outros impactos desse desenvolvimento podem destruir o habitat dos peixes no local, resultando em um sério declínio, ou perda total, da capacidade da área para fornecer serviços de pesca recreativa. Os órgãos ambientais desejam estimar o valor dos programas ou ações para proteger o habitat dos peixes.

Por que usar o método do custo de viagem?

O método do custo de viagem foi selecionado neste caso por duas razões principais:

1. A área é importante para as pessoas como um local de lazer. Não existem espécies ameaçadas de extinção ou endêmicas que afetariam os valores de não-uso para o local de maneira significativa.

2. Os gastos com projetos para proteger o local são relativamente baixos. Assim, usando um método relativamente barato por sua fácil aplicação, como custo de viagem faz mais sentido.

Abordagens alternativas:

O Método da Valoração Contingente (MVC) poderia também ser utilizado neste caso. Embora possam produzir estimativas mais precisas de valores para as características específicas do local e também capturar os valores de não-uso, seria consideravelmente mais complicado e caro sua aplicação.

Opções de aplicação do Método do Custo de Viagem:

Existem várias maneiras de abordar o problema, usando variações do Método do Custo de Viagem.

Estes incluem:

    Uma abordagem simpes dos custos das viagens, usando principalmente dados secundários, com alguns dados coletados dos visitantes. Uma abordagem dos custos das viagens individuais, usando um levantamento mais detalhado dos visitantes. Uma abordagem de utilidade aleatória usando pesquisa e outros dados, além de técnicas estatísticas.

Aplicação da abordagem do Custo de Viagem:

O Método do Custo de Viagem é a abordagem mais simples e por isso mais barata de ser aplicada. Através dele podemos estimar um valor para os serviços de lazer da área como um todo. Este método não traduz facilmente o valor da área para uma mudança na qualidade do lazer no local, e pode não considerar alguns dos fatores que podem ser importantes determinantes de valor.

O Método do Custo de Viagem é aplicado através da obenção de informações sobre o número de visitas ao local oriundas de diferentes localidades e com isso provenientes de diferentes distâncias. O custo de viagem e o tempo aumentam com a distância, esta informação permite ao pesquisador calcular o número de visitas "comprados" em diferentes "preços." Esta informação é usada para construir a função de demanda para o local, e estimar o excedente do consumidor, ou benefícios econômicos, para os serviços de lazer do local.

A primeira etapa é o de definir um conjunto de zonas circundantes ao local. Estes podem ser definidos por círculos concêntricos em torno do local, ou por divisões geográficas com algum critério como, por exemplo, as áreas metropolitanas ou municípios que cercam o local em diferentes distâncias.

A segunda etapa é coletar informações sobre o número de visitantes de cada local, bem como o número de visitas feitas no período passado. Para este exemplo, suponha que o pessoal no local mantém registros do número de visitantes e seu código postal, que pode ser usado para calcular o total de visitas por local ao longo do último ano.

A terceira etapa é calcular as taxas de visitação por 1000 habitantes em cada local. Isto é simplesmente o total de visitas por ano a partir do local, dividido pela população do local em milhares. Um exemplo é mostrado na tabela:

#image.jpg

A quarta etapa é calcular a distância média de viagem de ida e volta e o tempo de viagem entre o local estudado e o local de origem do visitante de acordo com os círculos concêntricos previamente definidos. Assuma que as pessoas do local 0 não tem distância e o tempo de viagem é nulo. Cada outro local terá um aumento do tempo de viagem e de distância. Em seguida, utilizando o custo médio de hora/km e tempo de viagem, o pesquisador pode calcular o custo de viagem de cada localidade. Um custo padrão por quilômetro para conduzir um automóvel está prontamente disponível a partir de fontes. Suponha que este custo por quilômetro é R$ 0,30. O custo do tempo é mais complicado, a abordagem mais simples é usar o salário médio por hora. Suponha que ele é de R$ 9/hora, ou R$ 0,15/minuto, para todas as localidades, embora, na prática, é provável que estes custos sejam diferentes por localidade. Os cálculos são mostrados na tabela:

#image.jpg

A quinta etapa é calcular, utilizando análise de regressão, a equação que relaciona visitas per capita a custos de viagem e outras variáveis importantes. A partir disso, o pesquisador pode estimar a função de demanda para o visitante. Neste modelo simples, a análise pode incluir variáveis demográficas, tais como idade, renda, sexo e níveis de ensino, utilizando-se os valores médios para cada localidade. Para manter o modelo mais simples possível, o cálculo da equação com apenas o custo de viagem e visitas/1000 habitantes.

Visitas/1000hab. = 330-7,755 * C.

C = Custo de viagem

A sexta etapa é a elaboração da função demanda por visitas ao local, utilizando os resultados da análise de regressão. O primeiro ponto da curva de demanda é o total de visitantes do local de acordo com os custos atuais de acesso (assumindo que não há taxa de ingresso para a localidade), que neste exemplo é de 1600 visitas por ano. Os outros pontos são encontrados estimando o número de visitantes, com diferentes taxas de entrada hipotéticas (assumindo que uma taxa de entrada é visto da mesma forma como os custos de viagem).

Para efeitos do nosso exemplo, começamos assumindo uma taxa de entrada R$ 10 em nossa curva de demanda, sendo assim o custo de viagem fica acrescido em R$10.

#image.jpg

O número de visitantes 954 dado uma taxa de ingresso de R$10 nos dá um segundo ponto na curva de demanda. Os demais pontos são dados a seguir:

#image.jpg

#image.jpg

O passo final estimar o benefício económico total do local para os visitantes, calculando o excedente do consumidor, ou seja, a área sob a curva de demanda. Isso resulta em uma estimativa total de benefícios econômicos a partir de usos recreativos do local de cerca de R$ 23.000 por ano, ou cerca de R$14,38 por visita (R$ 23 mil / 1600).

Como podemos usar os resultados?

Lembre-se que o objetivo do órgão ambiental foi para decidir se vale a pena gastar dinheiro em programas e ações para proteger o local de pesca recreativa. Se as ações custarem menos de R$ 23.000 por ano, o custo será menor do que os benefícios oferecidos pelo local. Se os custos forem maiores, o órgão ambiental terá que decidir se existem outros fatores que podem valer a pena manter o local para pesca recrativa ou se outra atividade no local trará maior benefício social.

Aplicação da abordagem de custo de viagem individual:

A abordagem do custo de viagem individual é semelhante à abordagem por localidade, mas usa dados de pesquisa de visitantes individuais na análise estatística, ao invés de dados de cada local de origem dos visitantes. Este método requer, portanto, mais a coleta de dados e uma análise um pouco mais complicado, entretanto os resultados serão mais precisos.

Para o exemplo hipotético do local pesca recreativa, ao invés de simplesmente coletar informações sobre o número de visitantes e seus códigos postais, o pesquisador realiza um levantamento dos visitantes. A pesquisa pode pedir as seguintes informações:

    localização da casa do visitante - o quão longe eles viajaram para o local quantas vezes eles visitaram o local durante o ano a distância da viagem a quantidade de tempo gasto no local despesas de viagem renda da pessoa ou outras informações sobre o valor do seu tempo outras características socioeconômicas do visitante outros locais visitados durante a mesma viagem, e o tempo gasto em cada visita outras razões para a viagem (é a viagem apenas para visitar o local, ou para diversas finalidades) sucesso de pesca no local (quantos peixes capturados em cada viagem) percepções da qualidade do meio ambiente ou a qualidade da pesca no local

Utilizando os dados da pesquisa, o pesquisador pode prosseguir de forma semelhante ao modelo de localidade, por cálculo, utilizando a análise de regressão, a relação entre o número de deslocamentos e as despesas de viagem e outras variáveis relevantes. Desta vez, o pesquisador usaria dados individuais, ao invés de dados de cada local de origem. A equação de regressão nos dá a função de demanda para o visitante "médio" para o local, e a área abaixo dessa curva de demanda dá o excedente do consumidor médio. Este é multiplicado pelo total de população relevante (a população da região de origem dos visitantes) para estimar o excedente do consumo total para o local.

Porque foram coletados dados adicionais sobre os visitantes, locais alternativos, e qualidade do local, as estimativas de valor pode ser melhor ajustadas, adicionando esses outros fatores para o modelo estatístico. Incluindo informações sobre a qualidade do local permite ao pesquisador estimar a mudança no valor do local, no caso de mudanças na qualidade. Para fazer isso, duas curvas de demanda diferentes seriam estimadas, uma para cada nível de qualidade. A área entre as duas curvas é a estimativa da mudança no excedente do consumidor quando dado as mudanças na qualidade.

Aplicação da abordagem de utilidade aleatória:

A abordagem de utilidade aleatória é a mais complicada e cara das abordagens de custos de viagens. É também o "estado da arte" das abordagem, pois permite muito mais flexibilidade no cálculo dos benefícios. É a melhor abordagem a ser usada para estimar os benefícios para características específicas, ao invés de adotar a localidade recreacional como um todo. Também é a abordagem mais apropriada quando existem muitas áreas recreacionais substitutas.

No exemplo, a agência pode querer valorizar as perdas econômicas da diminuição das populações de peixes, em vez da perda de todo o estoque de peixes. A abordagem de utilidade aleatória seria a melhor maneira de fazer isso, porque se concentra em escolhas entre os locais alternativos, que têm características diferentes de qualidade.

A abordagem de utilidade aleatória assume que as pessoas vão escolher o local que eles preferem, de todos os locais de pesca possíveis. Indivíduos fazem compensações entre a qualidade do local e o preço das viagens para cada local. Assim, este modelo requer informações sobre todos os possíveis locais que o visitante pode selecionar, as suas características de qualidade e os custos de viagens para cada um.

Para o exemplo, o pesquisador pode realizar uma pesquisa por telefone com moradores selecionados aleatoriamente do estado. A pesquisa seria perguntar-lhes se eles vão pescar ou não. Se eles fizerem isso, seria então fazer uma série de perguntas sobre quantas viagens de pesca que fez no ano passado (ou época), para onde eles foram, a distância para cada local, e outras informações semelhantes às informações coletadas em nossa pesquisa com a abordagem do custo de viagem individual. A pesquisa também pode fazer perguntas sobre as espécies de peixes de interesse em cada viagem, e quantos peixes foram capturados.

Usando essas informações, o pesquisador pode estimar um modelo estatístico que pode prever tanto a escolha de ir pescar ou não, e os fatores que determinam qual o local está selecionado. Se as características do local referentes a qualidade estão incluídos, o modelo pode facilmente estimar valores para alterações na qualidade do local, por exemplo, as perdas econômicas causadas por uma diminuição nas taxas de captura no local.

Source: http://www.economiadomeioambiente.com.br/servi%25C3%25A7os/valora%25C3%25A7%25C3%25A3o-economica-do-meio-ambiente/metodo-do-custo-de-viagem/


*****

Custo da viagem

Enviar para o Kindle

Dentre os destinos mais procurados, Zurique, ao lado de Londres, é a cidade mais cara para o turista brasileiro Foto: Divulgação

Quem viaja por conta própria sabe bem a dificuldade que é calcular gastos. Afinal, passagens, hospedagens, passeios e tudo o que for necessário são comprados em sites e empresas diversas, dificultando o real dimensionamento dessa conta.

No entanto, foi pensando nisso que três amigos curitibanos lançaram, em dezembro último, o site Quanto Custa Viajar . que ajuda a fazer todas as contas básicas de uma viagem, de acordo com o destino, classificados ainda segundo o continente.

Basta escolher o perfil de viajante (mochileiro, econômico ou conforto), definir o tempo que se quer passar na cidade e pronto: o site calcula o valor das passagens aéreas, da alimentação, da hospedagem, dos ingressos para as principais atrações e do transporte. E o mais bacana: ainda dá os links para comprar tudo antecipadamente pela internet.

A ideia do site partiu da experiênciade Fabio Yamahira, Amanda Santiago e Igor Pucci. Em 2013, eles tentaram organizar uma viagem para a Europa pensando nos mínimos detalhes, como custos de ingressos em museus e atrações, e sentiram falta de informações atualizadas. Ao acompanhar o crescente interesse do brasileiro em viajar para o exterior, perceberam o nicho de mercado e lançaram o site.

Hoje, o Quanto Custa Viajar disponibiliza os preços de mais de 100 cidades do mundo, e a quantidade tende a crescer. Segundo os responsáveis, nos próximos dois meses, o número de destinos cotados vai passar dos 150.

Em São Petersburgo, um dos destinos mais baratos, os custos diários são de apenas R$ 47 Foto: Divulgação

De acordo com o site, os destinos mais caros são Nassau, nas Bahamas, e Montego Bay, na Jamaica. Para passar cinco dias num esquema mochileiro na cidade jamaicana, será preciso desembolsar R$ 6.075, puxado pelo preço das passagens aéreas. Sem contar as passagens de ida e volta, gasta-se em torno de R$ 481 por dia em Montego Bay.

Dentre os destinos mais procurados, Londres e Zurique são as cidades mais caras para o turista brasileiro. Enquanto gasta-se R$ 218 por dia na capital da Inglaterra, em São Petersburgo, na Rússia, os custos diários caem para apenas R$ 47. Cairo (Egito) e Bogotá (Colômbia) estão entre os destinos mais baratos.

Veja quanto custa um dia de viagem em outros destinos populares, conforme a ferramenta:

Amsterdã (Holanda) – R$ 170

Bangkok (Tailândia) – R$ 91

Barcelona (Espanha) – R$ 155

Berlim (Alemanha) – R$ 158

Buenos Aires (Argentina) – R$ 107

Hong Kong (China) – R$ 172

Londres (Inglaterra) – R$ 258

Nova York (EUA) – R$ 244

Source: http://blogs.diariodonordeste.com.br/andarilho/viagens/site-ajuda-a-calcular-o-custo-de-viagem-para-100-cidades-no-mundo/

21.09.2020

New

31 2015 mar

Preço de passagem de aviao azul

Preço de passagem de aviao azul Concorrência aérea faz preço baixar. O preço de passagens 2014 para chegar até as cidades que sediaram os jogos da...

02 2015 abr

Linhas azuis aereas

Linhas azuis aereas admin | No Comments » Posted on October 17, 2014 Com o aumento constante do número de voos operados a partir do Brasil, o...

21 2014 feb

Passagens aereas gol 50 reais

Passagens aereas gol 50 reais A partir do dia 22 de março até o dia 21 de abril, a...

Popular on-line

Aviao da gol

Aviao da golO Boeing 737-800 da empresa Gol caiu, nesta sexta-feira no Mato Grosso com 155 pessoas a bordo. Os integrantes da Forзa Aйrea Brasileira ... Saber mais...

As melhores ofertas de voos baratos de todas as companhias aéreas e também low cost estão aqui

Actualmente para qualquer potencial viajante, passou a existir uma possibilidade de adquirir passagens aéreas para qualquer voo com condições muito atractivas, sem sequer precisar de ... Saber mais...

Qual é a diferença entre a classe turística e classe executiva?

Hoje em dia podemos encontrar bilhetes acessíveis  praticamente em qualquer companhia aérea do mundo. Por exemplo: para os estudantes ou reformados. Frequentemente as companhias têm ... Saber mais...

Testimonials

Bem-vindo ao nosso site! Aqui você pode encontrar os voos mais baratos e hotéis para sua viagem.”

equipa de desenvolvimento, Viagens Aviao

Os nossos parceiros