Ofertas low cost

Ofertas low cost

bangkok por 237€

Esta excelente oferta es con la aerolínea Transaero, y el previo es ida y vuelta desde Barcelona.

Hay fechas para viajar desde diciembre hasta Marzo

Hay una escala larga en Moscú, pero bueno, es un pequeño sacrificio por volar con este precio tan bajo. Los vuelos Bangkok en general cuestan mínimo 550€, así que esta oferta es un ahorro de casi el 50%.

Para aprovechar al máximo este viaje, es posible salir a visitar Moscú durante la escala pero debes solicitar un visado ante el Consulado de Rusia en España.

Para alojarte en Bangkok :

Source: http://www.lowcostofertas.com/


*****

Ofertas low cost

A saúde não tem preço? Tem preço, sim, só que varia e muito. Pode ir desde o virtual custo zero no Serviço Nacional de Saúde até aos 100 euros numa primeira consulta de especialidade num hospital privado

Com a crise, o factor preço passou a pesar muito mais na hora de todas as decisões e multiplicam-se as ofertas de serviços low cost na saúde. O exemplo mais recente foi o da Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa (Lisboa), que passou a disponibilizar consultas e urgências a um preço pouco superior ao cobrado a quem paga taxas moderadoras no Serviço Nacional de Saúde (SNS). O lançamento do conceito Walk"in Clinics é outro exemplo.

O novo pacote de serviços do hospital da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) inclui consultas da especialidade a 25 euros e urgências a 30, em troca de uma mensalidade de dois euros para se ser membro da organização. Uma forma de "aliviar o SNS", alegou Luís Barbosa, presidente da CVP. O grupo Trofa Saúde, no Norte do país, foi o primeiro este ano a avançar para uma campanha de urgências a preços mais baixos (30 euros), em Janeiro, poucos dias depois do substancial aumento das taxas moderadoras no SNS. "Fizemos uma vez e está feito. O nosso objectivo era mostrar que nem todo o sector privado é muito caro ou explora as pessoas, como às vezes se pode pensar", diz Artur Osório, do conselho de administração, acrescentando que a acção resultou num aumento de 20% nas urgências. Mas não será uma medida a repetir, segundo o responsável, que não gostou de ver o grupo associado a um conceito low cost da saúde. As próximas campanhas serão descontos a pessoas com mais de 65 anos, por exemplo.

Sobre a concorrência, Artur Osório limita-se a constatar que é "uma inevitabilidade". "Mas não pode ser uma concorrência selvagem, na saúde não se vendem fatos e gravatas, temos de estar perante entidades licenciadas e reguladas", avisa. Para as recém-chegadas pequenas clínicas com preços mais baixos - as Walk"in Clinics - sobra um "nada contra". "É preciso apenas que a Entidade Reguladora da Saúde e o Ministério da Saúde estejam atentas e zelem para que tenham qualidade e que funcionem segundo critérios, regras e auditorias que garantam segurança", defende. "De resto, se houver quem fizer melhor e mais barato, lucra o doente e o país também", conclui.

José Mário Martins, presidente da Associação Portuguesa de Clínicas Médicas, diz que "ainda não há uma generalizada quebra de preços" nos pequenas clínicas. Porém, lembra que muitos consultórios não aumentam os preços desde há três anos. "São todos unânimes em dizer que há uma quebra da procura e dizem-se asfixiados do ponto de vista burocrático, além do financeiro. O que faz com que alguns desistam de ter um consultório privado", alerta. Reconhecendo a importância do preço nesta altura de crise, José Mário Martins defende que "a relação [de confiança] médico-doente acaba por prevalecer". "Há pessoas que mudaram por causa do preço, mas acabam por voltar", constata, acreditando que o sector está num momento de transição que irá acabar por estabilizar. Sobre a versão low cost na saúde, reage: "Tenho de acreditar que não afectará a qualidade dos cuidados de saúde se as entidades fiscalizadoras cumprirem o seu papel".

"A nossa preocupação é que não haja qualquer tentação de usar o sector privado para fazer com que o SNS deixe de cumprir as suas funções constitucionais. Isso seria inaceitável", responde José Manuel Silva, bastonário da Ordem dos Médicos. "Garantida a qualidade, estas promoções não nos merecem qualquer tipo de reserva intelectual", afirma o bastonário, que lembra que a OM está a constituir um "departamento de qualidade para efectuar auditorias ao sector público e privado". "A verdadeira Entidade Reguladora da Saúde (ERS) é a OM", provoca o bastonário. Ainda assim, alerta que é preciso cuidado para não confundir cuidados de menor complexidade a preços mais baixos com falta de qualidade. "Estamos atentos. Aos mínimos indícios, vamos avaliar o que se passa", diz.

"A grande confusão com o low cost " nesta área é pensar que a saúde é uma mercadoria como outra qualquer", defende o bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas, Orlando Monteiro Silva, que vê com "muita relutância" a campanha lançada pela Cruz Vermelha. "Misturar os desígnios da Cruz Vermelha com a entrada numa lógica concorrencial low cost parece-me mais uma estratégia comercial", diz. O bastonário olha para este tipo de concorrência como algo delicado, sobretudo quando "é muito difícil para um doente comparar a qualidade dos cuidados prestados e, por isso, as pessoas ficam muito indefesas". "É preciso regulação. A ERS está a tentar acompanhar, mas falta legislação adequada, nomeadamente na área da publicidade", afirma.

Hoje, um dos principais problemas da medicina dentária é precisamente a "publicidade enganosa" de algumas clínicas que oferecem serviços com preços muito atractivos mas que escondem o valor real da factura final. Nos últimos anos, houve várias acções inspectivas a clínicas dentárias e que, em alguns casos, resultaram no encerramento destes negócios.

Pedro Moreira, director da Deco Proteste, acredita que a saúde "é um sector como os outros onde é possível fazer comparações". A Deco Proteste fez vários estudos sobre os preços das consultas médicas, concluindo, por exemplo, que uma consulta no privado de uma mesma especialidade pode ter uma diferença superior a 80 euros. "Como não há limites máximos nem mínimos, queremos dar referências às pessoas", diz.

A mudança de paradigma na Medicina Dentária, com a proliferação de negócios de franchising. conseguiu baixar consideravelmente os preços. Resta saber se vamos assistir ao mesmo efeito noutras áreas da saúde. E se descontos e promoções no mercado da saúde estão para ficar e crescer ou se são apenas uma moda e uma resposta passageira aos tempos de crise.

Source: http://www.publico.pt/destaque/jornal/ofertas-low-cost-conquistam-terreno-nas-consultas-e-urgencias-25681917

01.10.2020

New

31 2015 mar

Procurar melhor preço

Procurar melhor preço Se você procura informações, dicas e fotos dos principais modelos e lançamentos em chuteiras adidas, chuteira de futebol, chuteira society e campo, este é...

02 2015 abr

Ganhar passagens aereas

Ganhar passagens aereas É isso, pessoal! O blog Promoção de Passagens Aéreas 2015. acaba de entrar para...

21 2014 feb

Agencia de viagens espanha

Agencia de viagens espanha Itinerário Highlights Madri Veja as obras de Francisco Goya e Diego Velásquez no Museu do Prado. e de Pablo Picasso – incluindo Guernica – e...

Popular on-line

Aviao da gol

Aviao da golO Boeing 737-800 da empresa Gol caiu, nesta sexta-feira no Mato Grosso com 155 pessoas a bordo. Os integrantes da Forзa ... Saber mais...

As melhores ofertas de voos baratos de todas as companhias aéreas e também low cost estão aqui

Actualmente para qualquer potencial viajante, passou a existir uma possibilidade de adquirir passagens aéreas para qualquer voo com condições muito atractivas, sem sequer ... Saber mais...

Empresas de voos aereos

Empresas de voos aereosA Segurança de voo é prioridade número um na BHS. Por isso, investimentos massivos e constantes são realizados alinhados com ... Saber mais...

Testimonials

Bem-vindo ao nosso site! Aqui você pode encontrar os voos mais baratos e hotéis para sua viagem.”

equipa de desenvolvimento, Viagens Aviao

Os nossos parceiros