Passagem para sao paulo

Passagem para sao paulo

Travel Vacations to Brazil. Tour Packages, Discount Flight Tickets, Hotel Reservations, Brazil Air Pass, South America Pass, Amazon and Pantanal Lodges

Passagem de Miami para Sao Paulo

São Paulo é uma das maiores cidades em diversidade e atividade cultural no mundo. Muitos teatros, concertos e várias opções de lazer e alimentares.

A cozinha e a arte de São Paulo, a maior cidade da América do Sul, é tão multinacional quanto sua diversificada população de 10 milhões de habitantes.

O grande impulso para o desenvolvimento de São Paulo ocorreu a partir de meados do século 19, com a chegada de imigrantes. Hoje é umadas maiores metrópoles do mundo e o principal centro financeiro do Brasil.

Para procurar o melhor preço de passagem disponivel de Miami para Sao Paulo, por favor use o botão à direita.

Para que nossos agentes de viagem procurem a melhor opção de passagens de Miami para Sao Paulo, por favor preencha o formulário abaixo e voce receberá um email com detalhes.

Source: http://www.brol.com/passagens-aereas-para-o-brasil/passagem-de-miami-para-sao-paulo/


*****

Passagem para sao paulo

Caio do Valle - O Estado de S. Paulo

28 Novembro 2014 | 09h 11

Grupo responsável pelas grandes manifestações de 2013 informou que elevação do preço da tarifa é injusta

SÃO PAULO - Protagonista das grandes manifestações de junho de 2013, o Movimento Passe Livre (MPL) publicou uma nota em seu site afirmando que não aceitará "nenhum aumento da tarifa" dos transportes em São Paulo e que a população "tem poder para decidir como deve ser o transporte", lembrando as manifestações do passado. Atualmente, a Prefeitura vem avaliando a possibilidade de elevar o preço da passagem de ônibus, que hoje custa R$ 3.

O grupo informou, em mensagem nesta quinta-feira, 27, que "todo aumento da tarifa é um roubo, porque cobrar pelo uso do transporte é uma injustiça". O MPL foi o responsável pelo estopim das marchas que paralisaram a capital paulista e outras grandes cidades no ano passado, levando a gestão municipal de Fernando Haddad (PT) e a administração estadual de Geraldo Alckmin (PSDB) a anular o reajuste praticado na época, quando a tarifa de ônibus, metrô e trem subiu para R$ 3,20.

Naquele momento, os manifestantes engajaram-se no mote "não é só pelos vinte centavos", cobrando das autoridades mais eficiência, conforto e qualidade no sistema público de transportes.

O Movimento Passe Livre comandou as grandes manifestações de junho de 2013 contra o aumento das passagens

Agora, o grupo critica o fato de o dinheiro público repassado às empresas de ônibus não ter parado de crescer nos últimos tempos. "Desde junho de 2013, o subsídio das empresas só aumentou, sem qualquer diminuição nos seus lucros, ou mudança na forma de remuneração." O MPL questiona: "Por que não se fala em tirar os lucros das empresas, ao invés de cobrar mais por um direito de todos?"

Na avaliação do movimento, o poder público cogita elevar o custo dos transportes para a população "enquanto as empresas lucram cada vez mais em cima do dinheiro público e do nosso sufoco -- maximizando os ganhos com a superlotação dos ônibus, a remuneração por passageiro, os cortes de linhas e as filas nos terminais".

Para o MPL, "o transporte deve ser público, acessível para todos e não apenas para aqueles que podem pagar". Além de criticar suposta confusão nas declarações de membros da Secretaria Municipal dos Transportes a respeito da tarifa -- um funcionário da São Paulo Transporte chegou a descartar o aumento em 2015, mas o secretário Jilmar Tatto em seguida disse que não há como descartar essa hipótese --, o grupo afirma que a decisão de subir ou não o preço "é política".

Também é criticada uma possível integração do valor das passagens em toda a Região Metropolitana de São Paulo, "em cidades que possuem sistemas de transporte, custos e tamanhos totalmente diferentes", o que evidencia, para o MPL, que a questão é "política, e não técnica". Em Guarulhos, haverá aumento para R$ 3,50.

Abertamente, tanto Haddad quanto Alckmin nada falam sobre um possível aumento, mas nos bastidores aventa-se a possibilidade de subir o preço das passagens ainda em janeiro, mês de férias, o que poderia prejudicar a mobilização de movimentos populares contrários ao reajuste.

Neste ano, a Prefeitura deverá gastar, com subsídios ao sistema de ônibus, R$ 1.524.670.000,00. No ano passado, foram destinados para isso, R$ 1.188.630.571,00.

O governo de Haddad ainda espera a conclusão de uma auditoria feita pela empresa Ernst & Young nas contas do sistema de ônibus para verificar se há meios de reduzir os seus custos e, consequentemente, diminuir a quantidade de dinheiro público gasto com o serviço. O resultado final desse estudo será publicado em 10 de dezembro.

Source: http://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,passe-livre-diz-que-nao-aceitara-aumento-da-passagem-em-sp,1599343


*****

Passagem para sao paulo

Manifestantes reunidos no Viaduto do Chá protestaram nesta terça-feira (25) contra a possibilidade de aumento das tarifas de ônibus em SP e na Região Metropolitana. (Foto: Roney Domingos/G1)

A Prefeitura de São Paulo estuda reajustar o valor da tarifa dos ônibus municipais da capital paulista a partir de janeiro de 2015 para R$ 3,40, segundo estudos da São Paulo Transportes (SPTrans). O anúncio do aumento deve ser feito no fim de dezembro.

Com o reajuste, o valor do subsídio que a Prefeitura paga às empresas de transporte urbano cai do atual R$ 1,6 bilhão para R$ 1,4 bilhão ao ano, de acordo com dados da administração municipal. Se o reajuste não for aplicado, a Prefeitura terá que pagar R$ 2 bilhões para subsidiar o valor das passagens.

Em junho de 2013, o prefeito Fernando Haddad (PT) revogou o reajuste da tarifa de ônibus de R$ 3,20 e manteve o preço da passagem nos atuais R$ 3 após - vigente desde 2011 - após uma série de protestos, organizados pelo Movimento Passe Livre (MPL). Nesta terça-feira (25), manifestantes foram à Prefeitura. no Viaduto do Chá, Centro da capital, para cobrar que a tarifa não sofra reajuste.

De acordo com o estudo, se fosse levado em conta somente a inflação acumulada no período, a tarifa seria reajustada em R$ 3,75. No entanto, esse valor pesaria muito no bolso dos usuários do transporte público e poderia gerar uma nova onde de protestos.

Na tentativa de diminuir o impacto nas finanças dos passageiros, a previsão é que o preço não seja superior a R$ 3,50.

Três medidas podem contribuir para diminuir os custos dos cofres públicos com o subsídio: a primeira é a sanção da presidente Dilma Rousseff do projeto de lei que altera o indexador da dívida de estados e municípios com a União e alivia a situação fiscal desses entes da federação. Com a lei vigorando, o município de São Paulo recuperaria a médio e longo prazo a possibilidade de fazer novos empréstimos.

Auditoria vai influenciar

A segunda medida depende da conclusão da auditoria sobre o sistema de transporte público de São Paulo, realizado pela consultoria Ernst & Young, que deve ser entregue no dia 10 de janeiro.

A auditoria foi realizada após os protestos contra o aumento das passagens, para examinar as planilhas de custos e de remuneração das empresas de ônibus. Com os dados em mãos, a Prefeitura pretende realizar uma nova licitação mais equilibrada do sistema.

O aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). barrado por liminar na Justiça no passado, seria uma terceira alternativa para custear o subsídio dado às tarifas, segundo Haddad.  A possibiliade de reajuste - de até 20% para imóveis residenciais e de 35% para comerciais - será julgada nesta quarta-feira (26) pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Subsídio

Atualmente, 70% do valor da passagem é custeada pelos passageiros; 10% do valor são custeados pelos empresários do setor e 20% pelo poder público, ou seja, pela Prefeitura através de subsídios.

Em 2012, as empresas de ônibus receberam cerca de R$ 1 bilhão em subsídios. Em 2013, com o lançamento do Bilhete Único Mensal, a contrapartida para o sistema de ônibus foi de R$ 1,25 bilhão. E, neste ano, foi gasto R$ 1,6 bilhão.

CPTM e Metrô

Assim como ocorreu com os ônibus na capital, as tarifas do Metrô e dos trens da Grande São Paulo tiveram o aumento suspenso por causa dos protestos de junho de 2013. A tarifa do transporte sobre trilhos, que havia sido elevada para R$ 3,20, voltou a custar R$ 3,0 depois das manifestações.

Source: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/11/prefeitura-de-sp-estuda-reajustar-passagem-de-onibus-para-r-340.html

17.07.2018

New

31 2015 mar

Pacotes aereos em promoção

Pacotes aereos em promoção Pacotes, Passagens Aéreas, Hoteis CVC – 2013 – 2014 – Reveillon – Ano Novo – Outras...

02 2015 abr

Se você estiver no aeroporto de escala ou conexão:

Voos cancelados A TAP anunciou a introdução de onze novos destinos na sua rede, bem como o reforço...

21 2014 feb

Voos para joanesburgo

Voos para joanesburgo Turbina do A340-600 da South African Airways A viagem de ida entre São Paulo e Joanesburgo tem oito horas e meia de duração. Os...

Popular on-line

Voos baratos de madrugada

Voos baratos de madrugadaHome / Passagens Aéreas Promocionais / Viajar de Madrugada é Alternativa para Vôos BaratosQuer viajar de avião, mas acha ... Saber mais...

Qual é a diferença entre a classe turística e classe executiva?

Hoje em dia podemos encontrar bilhetes acessíveis  praticamente em qualquer companhia aérea do mundo. Por exemplo: para os estudantes ou reformados. Frequentemente ... Saber mais...

Aviao da gol

Aviao da golO Boeing 737-800 da empresa Gol caiu, nesta sexta-feira no Mato Grosso com 155 pessoas a bordo. Os integrantes da ... Saber mais...

Testimonials

Bem-vindo ao nosso site! Aqui você pode encontrar os voos mais baratos e hotéis para sua viagem.”

equipa de desenvolvimento, Viagens Aviao

Os nossos parceiros