Viagem suíça

Viagem suíça

Resolva sua viagem:

141 comentários

Com as dicas de não fazer várias cidades Suiças em um curto espaço de tempo (retirando Basiléia e Zermatt) e incluindo o lado italiano, gostaria que dessem uma opinião nesse novo roteiro de 15 dias (com hospedagens em Milão, Lugano, Lucerna, Interlaken e Lausanne). Grato!

Dia 1 (18 julho): chegada em Milão

Dia 2: Milão

Olá. Em março estarei em Chamonix (França) e pretendo passar uns 3 dias na Suíça. Quais cidades vocês me recomendam? Acho que não daria prioridade para as cidades de montanha, pois já estarei 7 dias no Mont-Blanc.

Source: http://www.viajenaviagem.com/destino/suica


*****

Viagem suíça

por Ricardo Freire @riqfreire Atualizado em 16.jul.2014

[Lucerna]

Já falei um bocadinho de Lugano. e no próximo post vou contar minhas impressões sobre três possíveis bases da Suíça francesa (Montreux, Lausanne e Genebra). Neste aqui vou dar meus pitacos sobre três possíveis bases da Suíça alemã: Zurique, Lucerna e Berna.

(Infelizmente não tive tempo para ir a Basiléia. que fica na fronteira com França e Alemanha e é a segunda maior cidade da Suíça, e tampouco a região próxima ao Lago Constança e à Áustria, onde estão a cidade de St. Gallen e o vilarejo típico de Appenzell .)

Vamos lá.

ZURIQUE | A porta de entrada

[Lago Zurique]

Elegante e cosmopolita, Zurique é o que mais se aproxima de uma metrópole suíça -- e ainda assim, tem menos de 400.000 habitantes. É uma cidade seriamente endinheirada. Percorra as ruas do centro histórico (Altstadt) entre a Bahnhofstrasse ("rua da estação") e o rio Limmat (à esquerda de quem vem da estação), e em vez de lojinhas de souvenir você encontrará grifes poderosas (sobretudo próximo ao rio).

[Rio Limmat]

A Bahnhofstrasse vai da estação até o Lago Zurique, onde são operados passeios de barco. A outra margem do Limmat é um pouco mais desencanada -- e morre menos depois do horário comercial. A vida noturna mais bacana, no entanto, está longe do rio, no bairro industrial de Zürich West. a menos de dez minutos de bonde da estação central, na direção oposta ao lago. O Bruno Vilaça tem um ótimo roteiro para quem vai passar um dia na cidade (leia aqui ).

[Zürich West]

Zurique é a cidade suíça com maior cartaz entre os brasileiros, que muitas vezes fazem dela sua única parada no país, dentro de um pinga-pinga pela Europa. Não acho uma boa estratégia. Na minha opinião, Zurique é uma parada bacana se o seu interesse específico for por Zurique; mas se você procura um resumo da Suíça num lugar só, ou uma base única para se movimentar o máximo pelo país, Lucerna e Berna são escolhas bem mais proveitosas.

[Zurique]

--> Tempo de viagem de trem/Distâncias rodoviárias

Winterthur 26 min/27 km, Lucerna 45 min/52 km, Berna 56 min/130 km, Basiléia 56 min/86 km, Interlaken 1h56/120 km, Chur 1h15/142 km, Lausanne 2h15/211 km, Montreux 2h39/196 km, Lugano 2h28/170 km, Strasbourg 2h35/224 km, Genebra 2h50/260 km, Stuttgart 2h52/220 km, Zermatt 3h13/185 km, St. Moritz 3h21/203 km, Innsbruck 3h26/295 km, Milão 3h40/280 km, Paris 4h06/660 km, Munique 4h13/315 km.

--> Montanhas próximas

Você pode subir ao parque Ueteliberg (20 min. de trem) ou ir às estações de esqui de Hoch-Ybrig (45 min. de trem até Einsiedeln, depois teleférico) ou Flumserberg (1h30 de trem + ônibus, via Ziegelbrücke e Flums). Para ver neve ou pelo menos gelo o ano inteiro, porém, vá ao Monte Titlis. em Lucerna (1h40 de trem a Engelberg via Lucerna + 45 minutos em vários bondinhos).

--> Bate-voltas

Winthertur (cidade histórica, 20 min. de trem), Einsiedeln (mosteiro + estação de Hoch-Ybrig no inverno; 45 min. de trem), Lucerna (45 min. de trem), Berna (1h de trem), Basiléia (1h de trem), Interlaken (1h48 de trem; saia cedo para conseguir fazer o circuito inteiro da Jungfraubahn. que leva entre cinco e seis horas).

--> Trens panorâmicos

Nenhum chega à cidade. Os mais próximos são a Jungfraubahn. um circuito fechado a partir de Interlaken (1h48 de trem, reserve mais 5 ou 6 horas para o circuito completo), a Golden Pass Line. que faz um percurso panorâmico (mais longo do que o expresso) a Interlaken e Montreux, com possibilidade de um desvio a Zermatt. e finalmente o Glacier Express e o Bernina Express. que você pode pegar a partir de Chur, a 1h15 de trem de Zurique.

[Zurique]

--> Onde ficar

Os hotéis no entorno imediato da estação são poucos (e bastante caros). Para encontrar alternativas abordáveis, é preciso atravessar para a outra margem do rio Limmat. Por ali considere o econômico-clean Marta. o confortável Hôtel du Théâtre Swiss Quality e o charmosinho St. Josef. Caçadores de hotéis ultra-econômicos devem fazer uma fezinha no easyHotel. (que fica na lateral da estação, num bairro meio red light district). Para os lados da Cidade Antiga, o Bruno Vilaça recomenda o Altstadt e o Helmhaus Swiss Quality. Querendo ficar em Zürich West, você vai curtir o moderninho 25 Hours Zürich West (há também um Ibis Budget e um Novotel por lá).

LUCERNA | Compacta & diversa

[Lucerna]

Lucerna foi a melhor surpresa do meu périplo suíço. Claro que a surpresa se deve apenas à minha ignorância, já que batalhões de viajantes já estavam carecas de recomendar a cidade, e a opinião deles poderia ser facilmente pesquisada na net. Uma definição bastante freqüente de Lucerna é "Switzerland in a nutshell" -- algo como "a síntese da Suíça".

[Centro histórico]

De fato, Lucerna tem tudo: lago, rio cortando o centro histórico, montanhas à vista e. vida própria. A cidade não é excessivamente turística e é facilmente manejável a pé. E por ser católica, Lucerna é um pouco mais colorida e rebuscada que suas colegas protestantes. Se você só tem um ou dois dias para investir na Suíça, é aqui que eu recomendaria que você ficasse.

[Lucerna]

--> Tempo de viagem de trem/Distâncias rodoviárias:

Aeroporto de Zurique 1h03/68 km, Zurique 45 min/52 km, Berna 1h/110 km, Basiléia 1h01/98 km, Chur 2h08/140 km, Interlaken 2h/68 km,  Lausanne 2h08/225 km, Montreux 2h32/210 km, Lugano 2h36/205 km, Genebra 2h43/290 km, Zermatt 3h11/220 km, Milão 3h32/244 km, St. Moritz 4h23/226 km, Innsbruck 4h31/305 km, Paris 4h43/610 km, Munique 5h19/370 km.

[Lucerna]

--> Montanhas próximas

A mais impressionante das montanhas de Lucerna é o Monte Titlis. que oferece neve ou pelo menos gelo o ano inteiro (45 minutos de trem a Engelberg + 45 minutos em vários bondinhos).

Mais perto, mas com neve garantida só no inverno, estão o Monte Pilatus (no verão, 20 min. de trem ou 50 min. de barco a Alpnachstad, então 30 min. de funicular ; no inverno, 15 min. de ônibus nº1/Kriens a Linden Pilatus, então dois teleféricos ) e o Monte Rigi. que pode ser visitado por meio de um belo circuito, o Classic Rigi. que combina travessia do lago (de Lucerna a Vitznau), trem de montanha e teleférico (ao pico do Monte Rigi) e travessia de volta (de Weggis a Lucerna).

[Lucerna]

--> Bate-voltas

O tour pelo Lago Lucerna é imperdível; não querendo fazer a volta inteira, vá até Vitznau (50 min) e na volta pare em Weggis. Outras boas pedidas são Berna (1h), Basiléia (1h) ou, num dia puxado, Interlaken, para fazer o circuito completo da Jungfraubahn (2 horas de trem + 5 a 6 horas de circuito).

--> Trens panorâmicos

Dois chegam/partem da cidade. O mais popular é a Golden Pass Line. que vai a Interlaken (2h) e Montreux (mais 3h20) pela rota panorâmica, com possibilidade de um desvio a Zermatt. O segundo é o Wilhelm Tell Express. uma combinação de barco (atravessando todo Lago Lucerna até Flüelen) e trem que leva a Lugano, na Suíça italiana, em 5h30 .

--> Onde ficar

O entorno da estação concentra muitos hotéis e não tem cara de "entorno de estação". Hospedando-se ali você está perto também da estação de barcos e chega ao coração do centro histórico atravessando a linda Ponte da Capela. Fiquei num Ibis Budget baratinho a menos de 10 minutos a pé (3 minutos de bonde). Numa faixa intermediária, considere o Alpina. o Stern Luzern ou o Flora. Mas se estiver podendo, fique no badaladão The Hotel ou no moderninho Radisson Blu.

Hospedando-se em hotéis na outra margem do rio (ou ao longo do lago) você vai precisar ir de táxi para chegar com malas. Por ali, o Pickwick e o Hotel des Alpes oferecem vista para o lago e ótima relação custo x benefício.

BERNA | Encantadora & central

[Berna]

Berna foge do padrão cidade-suíça-à-beira-do-lago. Seu ponto focal é o rio Aare, que circunda o centro histórico. Berna é uma jóia do urbanismo medieval: as construções da cidade antiga se alinham em três ruas perfeitamente paralelas que partem do entorno da estação central e se encontram na ponta da península, já a caminho da ponte principal. Longas arcadas protegem os moradores (e visitantes) das intempéries. Do outro lado do rio fica o Parque dos Ursos, onde ursos podem ser observados (por ali há um ótimo biergarten, o Altes Tramdepot ).

[Altes Tramdepot, Berna]

Mas Berna não é apenas um passeio imperdível. A capital suíça é também a base mais conveniente para saracotear pela metade do país ao norte dos Alpes: Zurique, Lucerna, Lausanne, Montreux e Genebra ficam entre 1h e 1h30 de distância, de trem; Interlaken está a uma hora.

[Berna]

--> Tempo de viagem de trem/Distâncias rodoviárias

Aeroporto de Zurique 1h18/145 km, Zurique 56 min/130 km, Interlaken 50 min./58 km, Basiléia 56 min./96 km, Lucerna 1h/110 km, Lausanne 1h06/102 km, Montreux 1h30/88 km, Genebra 1h41/168 km, Aeroporto de Genebra 1h50/165 km, Zermatt 2h06/137 km, Chur 2h20/240 km, Dijon 2h26/269 km, Milão 3h04/352 km, Lugano 3h43/270 km, Paris 4h03/590 km, St. Moritz 4h26/317 km, Innsbruck 4h34/410 km, Munique 5h30/432 km.

[Berna]

--> Montanhas próximas

Berna é a grande base para quem quer fazer as montanhas de Interlaken sem se hospedar em Interlaken. apenas 50 minutos separam as duas cidades, com um trem a cada meia hora. Leia sobre a Jungfraubahn .

[Berna]

--> Bate-voltas

Além do passeio a Interlaken (reserve o dia inteiro para o circuito da Jungfraubahn. que leva entre 5 e 6 horas a partir da estação Interlaken Ost), Berna está superbem situada para pulinhos em Lucerna (1h), Basiléia (1h), Lausanne (1h), Zurique (1h), Montreux (1h30), Genebra (1h40). Nas redondezas, considere também um dia folclórico na região do Emmental (1h de trem), onde se pode ver uma demonstração de como se faz o queijo e também visitar uma ferraria onde se produzem os sinos das vaquinhas suíças.

[Berna]

--> Trens panorâmicos

Nenhum passa pela cidade. É preciso subir a Interlaken para pegar a Golden Pass Line. que vai pela rota panorâmica a Lucerna (2h) e Montreux (3h20 na outra direção). O circuito da Jungfraubahn é fechado, começa e termina em Interlaken Ost.

[Berna]

Para desembarcar do trem e ir a pé até o hotel, considere o renovado Sorell Ador. o correto City am Bahnhof ou o antiquado, pero cumplidor, Savoy. Caminhando mais cinco minutos dá para descolar boas tarifas no (ótimo) Kreuz Bern e nos (modestos) Metropole Swiss Quality e Continental .

Ricardo Freire viajou à Suíça a convite do Swiss Travel System.

Source: http://www.viajenaviagem.com/2012/04/zurique-lucerna-berna


*****

Viagem suíça

por Ricardo Freire @riqfreire Atualizado em 30.jan.2015

| Glacier Express |

Sou apaixonado por viagens de trem na Europa. Não canso de repetir que o trem é o mais europeu dos meios de transporte. Em trajetos curtos ou panorâmicos, os trilhos são insuperáveis.

E se existe um lugar na Europa que foi inventado para ser explorado de trem, esse lugar é a Suíça.

As curtas distâncias entre as maiores cidades permitem bate-voltas confortáveis -- você gasta muito menos tempo dentro do trem para ir e voltar entre Lucerna e Berna ou Genebra e Montreux do que passaria de pé ao longo de um dia em filas na Disney.

Os trens que andam pelas rotas panorâmicas são suficientemente lentos para que se aprecie a paisagem (coisa que não dá mais para fazer nos TGV, Thalys, Freccie e AVEs, em que o trajeto é um borrão permanente na janela).

Sem o stress de dirigir em estradas que você não conhece (com uma sinalização que você não domina totalmente), sem precisar procurar lugar para estacionar nas cidades, sem enfrentar os anéis viários para entrar e sair das cidades grandes, sem brigar com o GPS, sem se preocupar com reabastecimento, você faz sua viagem render muito mais, com muito menos esforço físico e emocional.

O trem permite que você crie itinerários intensos, em que o deslocamento não faz você perder o dia – porque ou é curto (e indolor) ou é lindo (o percurso se torna o próprio destino).

--> COMO MONTAR SEU ROTEIRO DE VIAGEM PELA SUÍÇA

Bom. Se você chegou até aqui depois de ler os outros posts sobre a Suíça aqui no Viaje na Viagem, este pequeno país deve parecer um grande quebra-cabeça com muito mais peças do você pensou que existissem.

E olhe que o meu conhecimento da Suíça é superficial e se restringe aos lugares mais famosos. Imagine se eu soubesse onde fica a Gonçalves da Suíça, a São Miguel dos Milagres da Suíça, a Igatu da Suíça.

Mas não desanime. Eu tenho uma fórmula® que permite que qualquer pessoa crie um itinerário produtivo na Suíça.

[Golden Pass Line]

A FÓRMULA PARA O PERFEITO ITINERÁRIO SUÍÇO

É o mesmo princípio da banana split: três sabores e uma cobertura.

Os sabores: uma cidade beira-lago + um vilarejo de montanha + Berna. A cobertura: um trem panorâmico ou de montanha .

Num país tão diversificado, a chave para a escolha das bases, escalas e bate-voltas é evitar as redundâncias.

Se quiser incluir uma segunda cidade beira-lago, escolha num cantão de idioma diferente. Assim: Zurique + Lucerna é uma dobradinha redundante; são duas cidades beira-lago alemãs. Já Lucerna (alemã) + Montreux (francesa) ou Lucerna (alemã) + Lugano (italiana) são combinações mais ricas.

Antes de incluir uma segunda base de montanha, vale mais a pena alongar a permanência na primeira -- para fazer todos os passeios disponíveis e também aumentar as chances de pegar um dia claro para fazer o passeio principal.

Berna é um bate-volta fácil e encantador, que pode se encaixado em várias bases. O layout da cidade e sua arquitetura medieval são distintos das cidades beira-lago e funcionam bastante no mix.

Finalmente, o trem panorâmico deve se encaixar de maneira fluida no seu roteiro, senão não vale. Não faça bate-voltas em trem panorâmico (tipo: ida e volta pelo Glacier Express ou ida e volta pelo Bernina). Os percursos são longos demais para que se volte pela mesma paisagem. Pela mesma razão, resista a emendar o Bernina Express com o Glaciar Express.

Se nenhum trem panorâmico se encaixar no seu itinerário, não esquente. Inclua um vilarejo de montanha e você já verá paisagens alpinas deslumbrantes nos trens e teleféricos que levarem aos mirantes e estações de esqui.

--> EXEMPLOS DE ROTEIROS PELA SUÍÇA

Aí vão algumas sugestões. Para aproveitar melhor esses dias zanzando pela Suíça, o melhor é chegar ao país depois de já ter se acostumado ao fuso horário europeu. (Se a Suíça for a sua primeira parada, pense numa aclimatação de uns três dias na primeira cidade.) A maior contra-indicação desses itinerários intensos é precisar pegar o primeiro trem do dia no máximo às 9h.

Quando o Swiss Pass vale a pena no roteiro, eu indico a versão. Se não menciono o Swiss Pass, é porque não compensa no itinerário.

A tarifa de comparação é a tarifa normal, que dá direito a viajar em qualquer trem do dia, e portanto oferece vantagens comparáveis à do Swiss Pass.

Só você pode fazer a conta com as tarifas SuperSaver, porque essas tarifas variam de acordo com a época, a antecedência da compra e horário da viagem, e têm disponibiildade limitada.

Para saber mais sobre os destinos e trens panorâmicos, clique nos nomes em azul, e você será levado a posts sobre o lugar ou o trem panorâmico.

E para saber tudo sobre o Swiss Pass, tarifas normais e SuperSaver, veja mais abaixo. O serviço completo vem logo depois dos itinerários.

Resista a ficar um dia em cada lugar. Um bate-volta é mais aproveitável.

2 dias | Lucerna + Berna

Lucerna proporciona o melhor resumo da Suíça para apressados. O passeio de dia inteiro mais bacana é o circuito Classic Rigi. que combina travessia de barco do lago com trem e teleférico de montanha ao monte Rigi. Dá para tirar uma manhã ou uma tarde para um bate-volta a Berna .

2 dias | Montreux + Lausanne + Trem do Chocolate

Se a sua preferência for a Suíça francesa, monte base em Montreux ou Lausanne . O passeio de barco (de Lausanne ao Château de Chillon, em Montreux) é um bom tour de meio dia. Como passeio de dia inteiro, pegue o Trem do Chocolate (2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; sem operação de novembro a abril).

2 dias | Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe

Mas se a sua prioridade for paisagem alpina 24 horas, vá direto a Interlaken . que é o destino de montanha mais fácil de encaixar numa passagem rápida pela Suíça. O circuito Jungfraujoch/Top of Europe requer um dia inteiro. Dá para fazer passeio de barco em meio dia.

2 dias | Rota do Bernina Express + Lucerna

Se você vai cruzar a Suíça vindo da Itália, esteja em Tirano (2h30 de trem de Milão) a tempo de pegar o trem das 11h27 (reconfirme o horário!) a Chur, e que vai pela mesma rota do Bernina Express (em vagões convencionais). De Chur, continue a Lucerna. Você vai chegar já de noite. No segundo dia, faça o circuito Classic Rigi. Prossiga à Alemanha ou à França. (O sentido oposto também é perfeitamente factível -- aproveite a tarde e a noite do dia de chegada em Lucerna, no segundo dia faça o Rigi e no terceiro dia esteja em Chur a tempo de pegar o trem das 10h58 ou 11h58 que vai pela rota do Bernina Express até Tirano; prossiga de lá a Milão).

2 dias | Wilhelm Tell Express + Lucerna + Bernina Express

Muita gente gostaria de fazer um bate-volta desde a Itália só para andar num trem panorâmico na Suíça. Como eu já expliquei mais acima, ir e voltar no mesmo trem panorâmico é um pé no saco; a monotonia se sobrepõe à beleza. Com dois dias para investir (e apenas um pernoite em solo suíço) dá para fazer um roteiro mais proveitoso (e barato, usando os trens regionais que fazem as rotas panorâmicas). Saia de Milão até Bellinzona e pegue um trem regional que vá pela rota do Wilhelm Tell Express até Flüelen. seguindo de barco a Lucerna. Pernoite em Lucerna. Na manhã seguinte, esteja em Chur a tempo de pegar o trem das 10h58 ou 11h58 que vai pela rota do Bernina Express até Tirano ; prossiga de lá a Milão.

A recomendação de apenas uma base continua válida. Um bate-volta exige menos esforço do que mudança de cidade com malas (o tempo e a energia que você perde com check-out, traslado e check-in são melhor aproveitados turistando).

3 dias | Lucerna + Berna + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe

Passe as três noites em Lucerna. Faça o circuito Classic Rigi. um bate-volta a Berna e um bate-volta a Interlaken com direito ao circuito Jungfraujoch/Top of Europe. Fazendo todos os passeios sugeridos, o Swiss Pass 3 dias flexi já vale a pena (sobretudo na versão saver ). O Swiss Pass 4 dias youth também. Caso você não faça o circuito Clasic Rigi, porém, vale mais a pena comprar as passagens avulsas.

3 dias | Montreux + Lausanne + Trem do Chocolate + Berna

Passe as três noites em Montreux ou Lausanne . O passeio de barco (de Lausanne ao Château de Chillon, em Montreux) é um bom tour de meio dia. Como passeio de dia inteiro, pegue o Trem do Chocolate (2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; sem operação de novembro a abril). No terceiro dia, faça um bate-volta a Berna .

3 dias | Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe + Berna

Passe as três noites em Interlaken . O circuito Jungfraujoch/Top of Europe requer um dia inteiro. Dá para fazer passeio de barco em meio dia. Num dos dias, faça um bate-volta a Berna .

3 dias | Zermatt + Gonergrat + Glacier Paradise

Com 3 dias, Zermatt já vale como alternativa para quem procura a Suíça das montanhas. Conte em perder o primeiro dia no (belo) deslocamento. Nos dias em que ficar na vila, vá num deles ao Gonergrat e em outro ao Glacier Paradise. Comprar ou não o Swiss Pass vai depender do ponto em que você validar o passe. Se sair de (ou, no quarto dia, prosseguir a) Zurique, Basiléia, Genebra ou Lugano, o Swiss Pass 4 dias consecutivos saver (ou seja: para quem viaja acompanhado) ou youth (até 26 anos) valem a pena. O Swiss Pass 4 dias consecutivos individual empata os custos.

3 dias | Rota do Bernina Express + Lucerna ou Zurique + Berna

Para quem vem da Itália. Esteja em Tirano (2h30 de trem de Milão) a tempo de pegar o trem das 11h27 (reconfirme o horário!) a Chur, e que vai pela mesma rota do Bernina Express (em vagões convencionais). De Chur, continue a Lucerna ou Zurique . onde recomendo passar as três noites. Você vai chegar já de noite. No segundo dia, explore a cidade (em Lucerna, faça o circuito Classic Rigi ); em Zurique, faça um passeio pelo lago. No terceiro dia, faça o bate-volta a Berna . Prossiga à Alemanha ou à França. (O sentido oposto também é perfeitamente factível -- você passa duas noites na Suíça e a terceira já na Itália. Escolha Zurique ou Lucerna como base, vá a Berna no segundo dia, e no terceiro dia esteja em Chur a tempo de pegar o trem das 10h58 ou 11h58 que vai pela rota do Bernina até Tirano; prossiga de lá a Milão). Escolhendo Zurique como base, o Swiss Pass não vale a pena; compre as passagens separadamente. Escolhendo Lucerna como base, e fazendo o circuito Classic Rigi, o Swiss Pass 3 dias flexi empata; o Swiss Pass 3 dias flexi saver e o Swiss Pass 4 dias youth são um bom negócio.

3 dias | Wilhelm Tell Express + Lucerna + Berna + Bernina Express

O mesmo roteiro pá-pum para vir da Itália e voltar rapidinho, mas com um pouquinho mais de calma. São 3 dias de viagem, com doiss pernoites na Suíça. Parta cedinho de Milão a Bellinzona e pegue um trem regional que vá pela rota do Wilhelm Tell Express até Flüelen. seguindo de barco a Lucerna. Passe duas noites em Lucerna. No dia seguinte, faça o bate-volta a Berna . No terceiro dia, esteja em Chur a tempo de pegar o trem das 10h58 ou 11h58 que faz a mesma rota do Bernina Express até Tirano ; de lá, prossiga a Milão. O Swiss Pass 4 dias consecutivos só compensa se você pegar o vagão panorâmico do Wilhelm Tell Express; as versões saver e youth são bom negócio mesmo com o trem regional.

Com quatro dias inteiros, o Swiss Pass já aparece como um bom negócio para a maior parte dos itinerários.

4 dias | Lucerna + Berna + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe

É praticamente o mesmo roteiro de 3 dias, mas feito com um pouco mais de calma. Durma duas noites em Lucerna. Use um dia inteiro para fazer o Classic Rigi e uma tarde para ir a Berna . No terceiro dia, vá a Interlaken. mas se o tempo estiver bonito desça do trem em Brienz. Siga de barco de Brienz até Interlaken Ost. No quarto dia, faça o circuito Jungfraujoch/Top of Europe. O Swiss Pass 4 dias corridos individual empata o custo; o Swiss Pass 4 dias saver e o Swiss Pass 4 dias youth são bons negócios.

4 dias | Montreux + Trem do Chocolate ou Berna + trecho da Golden Pass Line + Zermatt + Gonergrat + Glacier Paradise

Durma duas noites em Montreux (ou Lausanne ). Não use o Swiss Pass no primeiro dia (vá a Chillon. Vevey. vinhedos de Lavaux ou Lausanne; é tudo baratinho de trem). No segundo dia, valide o Swiss Pass e faça o Trem do Chocolate (funciona 2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; não opera entre novembro e abril) ou um bate-volta a Berna. No terceiro dia, suba a Zermatt pela rota lenta da Golden Pass Line (via Zweisimmen); desça em Spiez, de onde você continua a Visp e Zermatt, onde dorme duas noites. No quarto dia, faça o Gonergrat de manhã e o Glacier Paradise na seqüência. Aproveite que o Swiss Pass ainda estará válido no dia de voltar e use até a fronteira ou o aeroporto (dá também para deixar o Glacier Paradise para esta manhã e seguir viagem à tarde). Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos compensam neste itinerário.

4 dias | Lucerna + Berna + Liechtentstein + Bernina Express + Lugano

Duas primeiras noites em Lucerna. Tire um dia inteiro para fazer o circuito Classic Rigi e uma tarde pra um bate-volta a Berna . No terceiro dia, mande as malas para Chur pelo serviço Fast Baggage (CHF 20 por volume) e vá a Chur com pit stop em Vaduz (Liechtenstein). Durma em Chur. No dia seguinte, pegue o Bernina Express (ou qualquer trem convencional que faça a rota) até Lugano . (Entre novembro e abril o Bernina só vai até Tirano, na Itália. Neste caso, prossiga a Milão.) Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos compensam neste roteiro.

4 dias | Rota do Bernina Express + St. Moritz + Zurique + Lucerna + Berna

Para quem vem da Itália. Esteja em Tirano (2h30 de trem de Milão) a tempo de pegar o trem das 11h27 (reconfirme o horário!) a St. Moritz . e que vai pela mesma rota do Bernina Express (em vagões convencionais). Durma uma noite por lá. No segundo dia, prossiga a Zurique . onde recomendo passar as demais três noites. No dia seguinte, faça um o bate-volta a Berna . No quarto dia, vá cedo a Lucerna e faça o circuito Classic Rigi ); volte a tempo de curtir a noite em Zurich West. Todos os Swiss Pass 4 dias consecutivos valem a pena nesse roteiro. Sem o circuito Classic Rigi, valem a pena apenas as versões flexi e youth.

4 dias | Lugano + Wilhelm Tell Express + Lucerna + Berna + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe

Vindo da Itália, durma uma noite em Lugano . Acione seu Swiss Pass no segundo dia, ao ir a Bellinzona pegar o Wilhelm Tell Express. que combina trem panorâmico com travessia de barco a Lucerna (se não quiser desembolsar os CHF 39 da reserva de assento -- que dá direito a almoço --, pegue qualquer trem convencional que vá a Flüelen). Passe três noites em Lucerna. No dia seguinte à chegada faça um bate-volta a Berna . No quarto dia, saindo cedo para Interlaken. é possível fazer o circuito Jungfraujoch/Top of Europe. O Swiss Pass 3 dias flexi. tanto individual como saver, são bom negócio para este roteiro.

4 dias | Zurique + Berna + Glacier Express + Zermatt + Gonergrat + Glacier Paradise

Durma as duas primeiras noites em Zurique. Acione o Swiss Pass no segundo dia, para fazer um bate-volta a Berna . No dia seguinte vá cedo a Chur pegar o Glacier Express (ou os trens convencionais que fazem a mesma rota) até Zermatt. Fique duas noites em Zermatt. No dia seguinte à chegada vá ao Gonergrat. No último dia suba ao Glacier Paradise pela manhã e aproveite que seu Swiss Pass ainda está válido para prosseguir à fronteira ou ao aeroporto. Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos valem a pena.

4 dias | Berna + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe + Golden Pass Line + Montreux ou Lausanne

Faça um pit stop em Berna (deixe a mala no guarda-volumes da estação) a caminho de Interlaken. onde você vai dormir duas noites. No dia seguinte, faça o circuito Jungfraujoch/Top of Europe. No terceiro dia, embarque com a mala no barco a Spiez e prossiga por qualquer trem da rota da Golden Pass Line (via Zweisimmen) a Montreux (ou a Lausanne. se preferir). Passe duas noites no destino. No quarto dia, visite o castelo de Chillon e os vinhedos de Lavaux -- ou pegue o Trem do Chocolate (funciona 2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; não opera entre novembro e abril). O Swiss Pass não compensa nesse roteiro.

4 dias | Wilhelm Tell Express + Lucerna + Berna + St. Moritz + Bernina Express

Para sair da Itália e voltar à Bota, com um belo panorama da Suíça. São 4 dias de viagem, mas três pernoites na Suíça. Parta cedinho de Milão a Bellinzona e pegue um trem regional que vá pela rota do Wilhelm Tell Express até Flüelen. seguindo de barco a Lucerna. Passe duas noites em Lucerna. No dia seguinte, faça o bate-volta a Berna . No terceiro dia, siga a St. Moritz . No último dia, pegue o Bernina Express (ou qualquer trem regional que faça a rota) até Tirano ; de lá, prossiga a Milão. O Swiss Pass 4 dias consecutivos meio que empata o custo; as versões saver e youth são bom negócio.

Os roteiros de 4 dias ficam menos exaustivos com uma pausa para respirar antes ou descansar depois da maratona.

5 dias | Lucerna + Berna + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe + Golden Pass Line + Montreux

Durma duas noites em Lucerna. Use o primeiro dia para passear na cidade. Ative o Swiss Pass no segundo dia, para fazer o Classic Rigi. No terceiro dia, despache as bagagens para Interlaken pelo Fast Baggage (CHF 20 por volume) e faça um pit-stop em Berna . Durma duas noites em Interlaken. No dia seguinte, faça o circuito Jungfraujoch/Top of Europe. No quinto dia, pegue a Golden Pass Line (trecho lento, via Zweisimmen) até Montreux (o trecho até Spiez pode ser feito de barco, se o dia estiver bonito). Durma essa última noite em Montreux ou Lausanne. O Swiss Pass 4 dias corridos individual empata o custo; o Swiss Pass 4 dias saver e o Swiss Pass 4 dias youth são bons negócios.

5 dias | Montreux + Trem do Chocolate + Berna + trecho da Golden Pass Line + Zermatt + Gonergrat + Glacier Paradise

Durma duas noites em Montreux (ou Lausanne ). Não use o Swiss Pass no primeiro dia (vá a Chillon. Vevey. vinhedos de Lavaux ou Lausanne; é tudo baratinho de trem), nem no segundo (faça o Trem do Chocolate. que dá pouco desconto no passe(funciona 2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; não opera entre novembro e abril). No terceiro dia, valide o Swiss Pass e faça um bate-volta a Berna. No quarto dia, suba a Zermatt pela rota lenta da Golden Pass Line (via Zweisimmen); desça em Spiez, de onde você continua a Visp e Zermatt, onde dorme duas noites. No quinto dia, faça o Gonergrat de manhã e o Glacier Paradise na seqüência. Aproveite que o Swiss Pass ainda estará válido no dia de voltar e use até a fronteira ou o aeroporto (dá também para deixar o Glacier Paradise para esta manhã e seguir viagem à tarde). Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos compensam neste itinerário.

5 dias | Lucerna + Berna + Liechtentstein + Bernina Express + Lugano

Duas primeiras noites em Lucerna. Tire um dia inteiro para fazer o circuito Classic Rigi e uma tarde pra um bate-volta a Berna . No terceiro dia, mande as malas para Chur pelo serviço Fast Baggage (CHF 20 por volume) e vá a Chur com pit stop em Vaduz (Liechtenstein). Durma em Chur. No dia seguinte, pegue o Bernina Express (ou qualquer trem convencional que faça a rota) até Lugano . (Entre novembro e abril o Bernina só vai até Tirano, na Itália. Neste caso, prossiga a Milão.) Durma duas noites em Lugano. Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos compensam neste roteiro.

5 dias | Rota do Bernina Express + St. Moritz + Zurique + Lucerna + Berna

Para quem vem da Itália. Esteja em Tirano (2h30 de trem de Milão) a tempo de pegar o trem das 11h27 (reconfirme o horário!) a St. Moritz . e que vai pela mesma rota do Bernina Express (em vagões convencionais). Durma uma noite por lá. No segundo dia, prossiga a Zurique . onde recomendo passar as outras quatro noites. No dia seguinte, faça um o bate-volta a Berna . No quarto dia, vá cedo a Lucerna e faça o circuito Classic Rigi ). Use o quinto dia para passear por Zurique mesmo. Todos os Swiss Pass 4 dias consecutivos valem a pena nesse roteiro. Sem o circuito Classic Rigi, valem a pena apenas as versões flexi e youth.

5 dias | Lugano + Wilhelm Tell Express + Lucerna + Berna + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe

Vindo da Itália, durma uma noite em Lugano . Acione seu Swiss Pass no segundo dia, ao ir a Bellinzona pegar o Wilhelm Tell Express. que combina trem panorâmico com travessia de barco a Lucerna (se não quiser desembolsar os CHF 39 da reserva de assento -- que dá direito a almoço --, pegue qualquer trem convencional que vá a Flüelen). Passe duas noites em Lucerna. No dia seguinte à chegada, suba ao Monte Titlis. No quarto dia, despache as malas para Interlaken pelo serviço Fast Baggage (CHF 20 por peça) e faça um pit-stop em Berna . Durma duas noites em Interlaken. No último dia, faça o circuito Jungfraujoch/Top of Europe. Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos são bons negócios se você pega os vagões panorâmicos do Wilhelm Tell Express. Vindo por trem convencional, o passe individual empata o custo; o saver e o youth continuam bons negócios. Se vier por trem convencional e não subir ao Titlis, o passe não compensa.

5 dias | Zurique + Liechtentstein + Glacier Express + Zermatt + Gonergrat + Glacier Paradise + Berna

Durma a primeira noite em Zurique. No segundo dia, despache as malas para Chur pelo Fast Baggage (CHF 20 por volume) e faça um pit-stop em Vaduz (Liechtentstein). Durma essa noite em Chur. No dia seguinte, pegue o Glacier Express (ou os trens convencionais que fazem a mesma rota) até Zermatt. Fique duas noites em Zermatt. No dia seguinte à chegada combine o Gonergrat. No último dia suba ao Glacier Paradise pela manhã e siga à tarde para Berna. onde pernoitará. Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos valem a pena.

5 dias | Lucerna + Berna + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe + Golden Pass Line + Montreux ou Lausanne

Passe a primeira noite em Lucerna. Faça um pit stop em Berna (deixe a mala no guarda-volumes da estação) a caminho de Interlaken. onde você vai dormir duas noites. No dia seguinte, faça o circuito Jungfraujoch/Top of Europe. No terceiro dia, suba no barco a Spiez e prossiga por qualquer trem da rota da Golden Pass Line (via Zweisimmen) a Montreux (ou a Lausanne. se preferir). Durma duas noites no destino. No quarto dia, visite o castelo de Chillon e os vinhedos de Lavaux -- ou pegue o Trem do Chocolate (funciona 2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; não opera entre novembro e abril). O Swiss Pass não compensa nesse roteiro.

Com uma semana já dá para cruzar a Suíça sem perder o fôlego.

7 dias | Montreux ou Lausanne + Golden Pass Line + Interlaken + Jungfraujoch/Top of Europe + Berna + Lucerna + Wilhelm Tell Express + Lugano

Roteiro redondo para quem quer escutar francês, alemão e italiano durante seu périplo suíço -- e perfeito para quem cruza a Suíça vindo da França e indo para a Itália. Passe as duas primeiras noites em Montreux ou Lausanne. Num dia, visite o castelo de Chillon e os vinhedos de Lavaux. No outro, passeie por Lausanne. No terceiro dia, a rota lenta da Golden Pass Line (via Zweisimmen) a Interlaken. onde você ficará duas noites. O quarto dia será dedicado ao circuito Jungfraujoch/Top of Europe. No quinto dia, faça um pit stop em Berna a caminho de Lucerna. onde ficará duas noites. No sétimo dia, pegue o Wilhelm Tell Express a Lugano. onde pernoitará. Caso você use o trem convencional no trecho Flüelen-Lugano, o Swiss Pass não compensa no roteiro. Indo pelo vagão panorâmico, os Swiss Pass 4 dias saver ou youth valem a pena (ative no quarto dia, em Interlaken).

7 dias | Zurique + Liechtenstein + Glacier Express + Zermatt + Gonergrat + Glacier Paradise + Montreux ou Lausanne + Berna

Suíça alemã + a montanha mais bonita + Suíça francesa. Passe a primeira noite em Zurique. No dia seguinte, mande suas malas pelo Fast Baggage (CHF 20 o volume) até Chur e faça um pit-stop em Vaduz (Liechtenstein). Durma em Chur. No terceiro dia, ative seu Swiss Pass pegando o Glacier Express até Zermatt. Fique duas noites em Zermatt. Suba num dia ao Gonergrat ; no outro, vá ao Glacier Paradise de manhã e desça a Montreux ou Lausanne. Passe as últimas três noites no destino. Faça o bate-volta a Berna no dia seguinte, para aproveitar o Swiss Pass. No último dia, escolha um passeio pela região: castelo de Chillon + +vinhedos de Lavaux. ou Lausanne ou o Trem do Chocolate (funciona 2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; não opera entre novembro e abril). Todas as versões do Swiss Pass 4 dias consecutivos valem a pena (use entre o 3º e o 6º dia).

7 dias | Zurique + Berna + Montreux ou Lausanne + Golden Pass Line + Lucerna + St. Moritz + Bernina Express

Um bem-bolado para quem chega pelo aeroporto de Zurique, quer dar um rolê pelo lado francês e seguir por um trem panorâmico para a Itália. Passe a primeira noite em Zurique. No dia seguinte, vá a Montreux ou Lausanne com pit-stop em Berna. Passe duas noites em Montreux ou Lausanne. No dia seguinte à chegada, visite o castelo de Chillon e os vinhedos de Lavaux ou faça o Trem do Chocolate (funciona 2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; não opera entre novembro e abril). Ative o seu Swiss Pass para sair de Montreux em direção a Lucerna pela rota lenta da Golden Pass Line (via Zweisimmen). Fique duas noites em Lucerna. No dia seguinte à chegada, para fazer o circuito Classic Rigi. Saia para St. Moritz . onde você vai passar duas noites. No oitavo dia desça com o Bernina Express até Tirano. prosseguindo a Milão. O Swiss Pass 8 dias consecutivos individual empata o custo; as versões saver e youth são bom negócio.

8 dias | Zurique + Liechtenstein + Glacier Express + Zermatt + Gonergrat + Glacier Paradise + Montreux ou Lausanne + Berna + Lucerna + Wilhelm Tell Express + Lugano

Uma volta à Suíça em oito dias. Passe a primeira noite em Zurique. No dia seguinte, mande suas malas pelo Fast Baggage (CHF 20 o volume) até Chur e faça um pit-stop em Vaduz (Liechtenstein). Durma em Chur. No terceiro dia, pegue o Glacier Express até Zermatt. Fique duas noites em Zermatt. Suba num dia ao Gonergrat ; no outro, vá ao Glacier Paradise de manhã e à tarde desça a Montreux ou Lausanne. Passe duas noites no destino. No dia seguinte à chegada, escolha um passeio pela região: castelo de Chillon e os vinhedos de Lavaux. ou Lausanne ou o Trem do Chocolate (funciona 2ª, 4ª e 5ª em maio, junho, setembro e outubro; diariamente em julho e agosto; não opera entre novembro e abril). Saia para Lucerna com pit-stop em Berna. Passe uma noite em Lucerna. Prossiga com o Wilhelm Tell Express a Lugano. Passe a última noite em Lugano. Todas as versões do Swiss Pass 8 dias consecutivos valem a pena.

Depois de decidir sobre um itinerário de trem pela Suíça, veja se o Swiss Pass será útil ou não.

--> O QUE É O SWISS PASS?

O Swiss Pass é um passe de transporte super-abrangente. É válido nos trens, ônibus, barcos e no transporte público urbano.

Para quem vai ficar pelo menos 4 ou 5 dias no país e pretende fazer bate-voltas e rotas panorâmicas, o passe normalmente vale a pena.

Para quem vai só passar rapidinho pela Suíça. o passe não se paga; vale mais a pena comprar passagens avulsas.

Se você ficar apenas no miolo Lucerna-Berna-Interlaken-Montreux. o passe só vale a pena se você fizer dois ou três passeios caros às montanhas.

E agora é preciso considerar também o Supersaver Tickets, passagens descontadas que foram reintroduzidas em março deste ano.

Ao fim deste post você terá condições de calcular se o passe é para você e que modalidade funciona melhor na sua viagem. Você também verá exemplos de roteiros de 2 a 8 dias. para fazer com ou sem passe.

--> POR QUE O SWISS PASS PODE VALER A PENA?

Normalmente eu não recomendo passes de trem. Com a antecedência adequada e um pouco de paciência para enfrentar os sites das cias. européias, é possível conseguir tarifas promocionais ponto a ponto.

Em março de 2013, a Suíça também aderiu ao sistema de tarifas descontadas para venda antecipada online. Mesmo assim, entendo que a liberdade proporcionada pelo passe deixa você na condição ideal para aproveitar todas as possibilidades que a Suíça oferece.

Com um Swiss Pass válido no bolso, você pode cruzar o país como bem entender, subindo nos trens (e barcos, e ônibus) usados pelos suíços em seus deslocamentos, sem precisar fazer reserva. (Só é necessário reservar em vagões panorâmicos de trens turísticos.)

[Barco de Flüelen a Lucerna, parte do Wilhelm Tell Express]

O Swiss Pass tem algumas características únicas:

- Vale nos barcos que cruzam os lagos Léman (ligando Montreux, Vevey, Lausanne, Genebra e a francesa Evian), Lucerna (levando a cidadezinhas pitorescas e ao monte Rigi), Brienz e Thun (ambos em Interlaken). Dá para fazer de barco trechos que você faria de trem, sem pagar a diferença.

- Vale no transporte público de todas as cidades suíças (você não precisa se entender com passes diários ou com passagens avulsas de bonde ou ônibus).

- Vale em trens de montanha que levem a vilarejos.

- Filhos entre 6 e 15 anos viajam de graça quando acompanhados do pai ou da mãe portando Swiss Pass válido. (Crianças até 5 anos não pagam passagem em nenhum transporte público suíço).

- Dá 50% de desconto em trens de montanha e teleféricos que levem a estações de ski ou mirantes alpinos.

- Dá 50% de desconto em passeios de barco no lago de Lugano.

- Dá 25% de desconto no trecho final da Jungfraubahn. em Interlaken.

- Vem com o Swiss Museum Pass. que proporciona entrada gratuita em 470 museus na Suíça (veja a lista aqui ).

- Pode ser comprado até depois de chegar à Suíça , sem acréscimo. Basta ir a uma estação de trem munido do passaporte.

--> COMO É O SWISS PASS E COMO SE USA?

O Swiss Pass é um bilhete que você recebe em casa pelo Correio ou retira pessoalmente numa estação de trem suíça. Seu nome deve estar nele -- seja impresso previamente, seja preenchido pelo atendente do guichê.

[Swiss Pass dias corridos]

Como os demais passes europeus, o Swiss Pass tem duas modalidades básicas: dias corridos e dias avulsos (flexi). O passe vem com prazo de validade (4 dias corridos, 3 dias avulsos, etc.).

O passe de dias corridos já vem com os dias de validade pré-determinados, impressos no bilhete.

[Swiss Pass Flexi Saver]

No passe de dias avulsos (flexi), você deve anotar à mão a data de cada dia em que decidir usar o passe, antes de embarcar no primeiro trem do dia. (Não é preciso fazer isso logo ao receber o passe; valide cada nova data no momento em que for usar.)

Tanto os passes de dias corridos quanto os de dias avulsos (flexi) também são vendidos na versão saver. válida quando pelo menos duas pessoas viajam juntas. (Se você comprar um passe saver, se separar do outro passageiro e for pego viajando sozinho, pagará multa.) Os melhores passes são os saver – sobretudo se a dupla de viajantes leve filhos entre 6 e 16 anos (que viajarão de graça na companhia).

Existe também a versão youth. para passageiros entre 16 e 26 anos (disponível apenas para dias corridos).

Não é preciso carimbar o passe em nenhuma máquina. Com a data devidamente anotada, basta subir no trem. Em algum momento um fiscal passará para verificar os tickets dos passageiros. Basta apresentar o seu passe válido.

(Caso você tenha esquecido de anotar a data de uso no passe flexi antes de subir no trem, pagará multa.)

Nos trens turísticos em que seja necessária reserva ou nos trens de montanha e teleféricos que requeiram suplemento, dê um pulinho na bilheteria e apresente seu passe para pagar só a diferença. Quando pedirem, apresente o Swiss Pass e o ticket específico daquela viagem.

[Gonergrat, Zermatt]

--> DIAS CORRIDOS X DIAS AVULSOS: VANTAGENS E DESVANTAGENS

A versão de dias corridos é a mais prática: não é preciso lembrar de anotar nada antes de subir no primeiro trem do dia. Em contrapartida, se você ficar parado um dia numa cidade, sem fazer sequer passeios de barco, vai precisar compensar nos outros dias, para não ficar no preju.

A versão de dias avulsos permite usar o passe só nos dias em que for realmente vantajoso. Você precisa ter paciência para pesquisar e fazer conta -- e vai precisar comprar passagens ou passe de transporte público nos dias em que não validar o Swiss Pass. Normalmente vale em viagens mais longas, em que você está na Suíça a estudo ou trabalho e vai viajar espaçadamente.

A fórmula mais simples para ver o quanto de transporte você precisa usar para compensar o passe é dividir o preço do passe pelo número de dias. Você verá que o preço por dia da modalidade dias avulsos é mais alto que o da modalidade dias corridos.

Os preços estão em francos suíços (CHF). O franco suíço tem estado parelho com o dólar (no momento em que escrevo, está ligeiramente mais valorizado; 93 centavos de franco suíço compram 1 dólar); já 1 euro costuma valer 1,2 franco suíço. Para fazer conversões para estas moedas ou para o real, use o Oanda. Os preços abaixo são os vigentes em setembro de 2013. Confira os preços atualizados de passes nesta página. Os preços listados são dos passes de 2ª classe, que é perfeitamente aceitável. Para preços de passes em 1ª classe, veja aqui .

Dias corridos

4 dias corridos (sozinho): CHF 272 (média diária: CHF 6

4 dias corridos saver ( acompanhado): CHF 231 cada (média diária: CHF 5

4 dias corridos youth (16-26 anos): CHF 204 (média diária: CHF 51)

8 dias corridos (sozinho): CHF 393 (média diária: CHF 49)

8 dias corridos saver (acompanhado): CHF 334 cada (média diária: CHF 42)

8 dias corridos youth (16-26 anos): CHF 295 (média diária: CHF 37)

Dias avulsos (flexi)

3 dias avulsos (sozinho ): CHF 260 (média diária: CHF 87)

4 dias avulsos (sozinho ): CHF 315 (média diária: CHF 79)

4 dias avulsos saver (acompanhado ): CHF 268 cada (média diária: CHF 67)

5 dias avulsos (sozinho ): CHF 364 (média diária: CHF 72)

5 dias avulsos saver (acompanhado ): CHF 310 cada (média diária: CHF 62)

6 dias avulsos (sozinho ): CHF 414 (média diária: CHF 69)

6 dias avulsos saver (acompanhado ): CHF 352 cada (média diária: CHF 59)

Há também passes de 15, 22 e 30 dias corridos; veja preços aqui .

--> ONDE COMPRAR O SWISS PASS?

Você pode comprar seu Swiss Pass antes de viajar ou depois de chegar à Suíça.

Se comprar com antecedência no site da Rail Europe (que é em português), vai receber pelo Correio, pagando R$ 26 de taxa de serviço (por passageiro) e R$ 29 de DHL (por envio, mesmo que de mais de um passe).

Comprando com pelo menos 3 dias de antecedência no site do Swiss Pass você pode retirar o passe em qualquer estação de trem na Suíça (pode ser as do aeroporto de Zurique ou de Genebra), por uma taxa de CHF 15 por passageiro.

Se quiser comprar depois de chegar na Suíça. basta passar em qualquer estação de trem, munido do passaporte. Não há taxa de entrega neste caso.

[Trem regional em Visp]

--> QUANTO CUSTAM AS PASSAGENS SEM SWISS PASS?

Este é o maior trabalho que o Swiss Pass dá. Para ver se vale a pena comprar um passe e decidir qual é o mais adequado ao seu itinerário, você precisa orçar todos os trajetos e os principais passeios. Dei uma busca geral nas tarifas regulares dos principais trechos e entrego de bandeja aqui para você. Some os valores dos trechos que você quer fazer e já vai dar para ter uma idéia do passe mais adequado.

(Mais adiante eu mostro como descobrir a disponibilidade das tarifas promocionais SuperSaver.)

Quando eu incluo a informação do preço do bate-volta. é porque é factível (viagens de até 2 horas em cada sentido). A possibilidade de pit-stop indica que você pode pegar um trem de manhã, passar entre 4 e 6 horas na escala e seguir para o destino final ao entardecer (deixando as malas no guarda-volumes da estação da escala ou enviando direto ao destino pelo serviço Fast Baggage. que custa CHF 20 por item).

Se não aparecer algum trecho ou passeio na lista, no próximo tópico eu ensino você a pesquisar.

[Interior do trem a Jungfraujoch/Top of Europe]

Para: Berna CHF 39 (bate-volta. CHF 7 | Genebra CHF 73 | Interlaken (possibilidade de pit stop em Berna ) CHF 58 | Lausanne CHF 62 | Lucerna CHF 32 (bate-volta. CHF 64) | Zermatt CHF 115 | Zurique CHF 32 (bate-volta. CHF 64) |

Para: Basiléia CHF 39 (bate-volta. CHF 7 | Genebra (possibilidade de pit-stop em Lausanne ) CHF 49 (bate-volta. CHF 9 | Interlaken CHF 27 (bate-volta. CHF 54) | Lausanne CHF 32 (bate-volta. CHF 64) | Lucerna CHF 32 (bate-volta. CHF 64) | Lugano (possibilidade de pit-stop em Lucerna ) C HF 84 | Montreux CHF 40 (bate-volta. CHF 80) | Zermatt CHF 86 | Zurique CHF 49 (bate-volta. CHF 9 |

Para: Lucerna CHF 46 | Vaduz (Liechtentstein) CHF 20 (bate-volta. CHF 40) | Zurique CHF 39 |

Trens panorâmicos: Lugano pelo Bernina Express. CHF 108 (a extensão a Lugano funciona de abril a outubro; portador de Swiss Pass paga apenas as reservas: CHF 24; o desconto é de CHF 84 ) | Tirano (Itália) pelo Bernina Express: CHF 69 a CHF 72 (portador do Swiss Pass paga apenas as reservas: CHF 9 no inverno, CHF 12 no verão; o desconto é de CHF 60; prossiga a Milão) | Tirano (Itália) em trens convencionais na mesma rota do Bernina Express. CHF 60 (prossiga a Milão) | Zermatt pelo Glacier Express. CHF 146 no verão e CHF 126 no inverno (portador de Swiss Pass paga a reserva: CHF 33 no verão ou CHF 13 no inverno; o desconto é de CHF 113 ) | Zermatt em trens convencionais na mesma rota do Glacier Express. CHF 113 |

Para: Basiléia CHF 73 | Berna CHF 49 (bate-volta. CHF 9 | Interlaken CHF 69 | Lausanne CHF 22 (bate-volta. CHF 44) | Lucerna (possibilidade de pit-stop em Lausanne ou Berna ) CHF 76 | Montreux CHF 29 (bate-volta. CHF 5 | Zermatt CHF 93 | Zurique CHF 84

Para: Basiléia (possibilidade de pit-stop em Berna ) CHF 58 | Berna CHF 27 (bate-volta. CHF 54) | Genebra CHF 69 | Lausanne (possibilidade de pit-stop em Berna ) CHF 53 | Lucerna CHF 31 (bate-volta. CHF 62) | Lucerna via Berna (para pit-stop em Berna ): CHF 58 | Lugano (possibilidade de pit-stop em Lucerna ) CHF 80 | Montreux via Berna (possibilidade de pit-stop em Berna ) CHF 60 | Montreux via Martigny (rota parcialmente panorâmica, com túnel) CHF 71 | Zermatt CHF 79 | Zurique CHF 67

Trens panorâmicos: Junfraujoch/Top of Europe (circuito completo, saindo e voltando a Interlaken Ost) CHF 197 (portador de Swiss Pass paga CHF 137; o desconto é de CHF 60) | Lucerna pela Golden Pass Line CHF 31 | Montreux pela Golden Pass Line. CHF 51 (caso queira fazer o trecho Zweisimmen-Montreux no vagão Panoramic, há um suplemento de CHF 8; no vagão Classic, há um suplemento de CHF 15. Portador de Swiss Pass também paga os suplementos. Não há suplementos nos vagões convencionais) |

Barcos cobertos pelo Swiss Pass: Interlaken Ost a Brienz (no caminho de Lucerna) CHF 29 (ida e volta, CHF 49; ida ou volta de trem, CHF | Interlaken West a Spiez (no caminho de Zermatt e Montreux) CHF 27 (ida e volta, CHF 46; ida ou volta de trem, CHF 10) | Interlaken West a Thun (no caminho de Zermatt e Montreux) CHF 42 (ida e volta, CHF 71; ida ou volta de trem, 1 |

Para: Basiléia CHF 62 | Berna CHF 32 (bate-volta: CHF 64) | Genebra CHF 22 (bate-volta: CHF 44) | Interlaken (possibilidade de pit-stop em Berna ) CHF 53 | Lucerna (possibilidade de pit-stop em Berna ) CHF 62 | Montreux CHF 12,50 (bate-volta: CHF 25) | Zermatt CHF 77 | Zurique CHF 71 |

Barcos cobertos pelo Swiss Pass: Lausanne-Montreux (ida) CHF 45 (volta de trem: CHF 12,50) | Lausanne-Évian-Lausanne CHF 34 |

Para: Basiléia CHF 32 (bate-volta: CHF 64) | Berna CHF 32 (bate-volta: CHF 64) | Chur CHF 46 | Chur com pit stop em Vaduz (Liechtentstein) CHF 57 | Genebra (possibilidade de pit-stop em Berna ou Lausanne ) CHF 76 | Interlaken CHF 31 (bate-volta: CHF 62) | Interlaken via Berna (para pit-stop em Berna) CHF 58 | Lausanne (possibilidade de pit-stop em Berna ) CHF 62 | Lugano (100% trem) CHF 58 | Monte Pilatus CHF 78 | Monte Titlis CHF 121 (portador de Swiss Pass paga CHF 43 no último trecho; o desconto é de CHF 7 | Montreux (possibilidade de pit-stop em Berna ou Lausanne ) CHF 69 | St. Moritz CHF 80 | Zermatt (indo pela Golden Pass Line até Spiez ) CHF 111 | Zurique CHF 24 (bate-volta: CHF 42) |

Trens panorâmicos: Interlaken pela Golden Pass Line CHF 31 | Montreux pela Golden Pass Line CHF 73 (caso queira fazer o trecho Zweisimmen-Montreux no vagão Panoramic, há um suplemento de CHF 8; no vagão Classic, há um suplemento de CHF 15. Portador de Swiss Pass também paga os suplementos) | Lugano pelo Wilhelm Tell Express (barco + trem + almoço) CHF 184/2ª classe a CHF 224/1ª classe (portador do Swiss Pass paga a reserva de CHF 39 na 2ª classe ou CHF 79 na 1ª classe; o desconto é de CHF 145) | Lugano em barco e trem convencional na mesma rota do Wilhelm Tell Express. CHF 92 |

Barcos cobertos pelo Swiss Pass. Circuito Clássico Rigi (barco de Lucerna a Vitznau, trem + teleférico + cremalheira ao Monte Rigi, barco de Weggis a Lucerna) CHF 109 | Fluëlen (ida) CHF 45 | Vitznau (ida) CHF 19 | Weggis (ida) CHF 19 |

Trens panorâmicos: Centovalli Express de Locarno a Domodossola (Itália) CHF 42 (prossiga a Milão) | Wilhelm Tell Express a Lucerna (trem + barco + almoço) de CHF 184/2ª classe a CHF 224/1ª classe (portador do Swiss Pass paga a reserva de CHF 39 na 2ª classe ou CHF 79 na 1ª classe; o desconto é de CHF 145) | Lucerna em trem convencional e barco na mesma rota do Wilhelm Tell Express. CHF 92 | St. Moritz pelo Bernina Express. CHF 82 (funciona de abril a outubro ; portador de Swiss Pass paga apenas as reservas: CHF 24; o desconto é de CHF 58 ) |

Para: Berna CHF 40 (bate-volta: CHF 80) | Genebra CHF 29 (bate-volta: CHF 5 | Interlaken via Berna (possibilidade de pit-stop em Berna ) CHF | Interlaken via Martigny (rota semipanorâmica, com túnel) CHF 60 | Lausanne CHF 12,50 (bate-volta: CHF 25) | Lucerna (posibilidade de pit-stop em Lausanne ou Berna ) CHF 69 | Zermatt via Martigny (rota parcialmente panorâmica, com túnel) CHF 70 | Zurique (possibilidade de pit-stop em Lausanne ou Berna ) CHF 76 |

Trens panorâmicos: Trem do Chocolate (circuito completo, a Gruyère e Broc, voltando a Montreux) CHF 99 (portadores de Swiss Pass 2ª classe pagam suplemento de CHF 69; o desconto é de CHF 30) | Interlaken pela Golden Pass Line CHF 51 | Lucerna pela Golden Pass Line CHF 73 | Zermatt via Zweisimmen (aproveitando a rota da Golden Pass Line até Spiez) CHF 108 |

Barcos cobertos pelo Swiss Pass. Montreux ao Castelo de Chillon CHF 17 (volte a pé ou de bonde) | Montreux a Lausanne CHF 45 (volta de trem: CHF 12,50)

Trens panorâmicos: Lugano pelo Bernina Express. CHF 82 extensão a Lugano funciona de abril a outubro; portador de Swiss Pass paga apenas as reservas: CHF 24, economizando CHF 84) | Tirano (Itália) pelo Bernina Express: CHF 39 a CHF 42 (portador do Swiss Pass paga apenas as reservas: CHF 9 no inverno, CHF 12 no verão; o desconto é de CHF 30; prossiga a Milão) | Tirano (Itália) em trens convencionais na mesma rota do Bernina Express. CHF 30 (prossiga a Milão) | Zermatt pelo Glacier Express. CHF 188 no verão e CHF 158 no inverno (portador de Swiss Pass paga a reserva: CHF 33 no verão ou CHF 13 no inverno; o desconto é de CHF 145 ) | Zermatt em trens convencionais na mesma rota do Glacier Express. CHF 145 |

Trens panorâmicos: Glacier Paradise (circuito completo em trem, com volta a Zermatt) CHF 99 (portador de Swiss Pass paga CHF 44,50; o desconto é de CHF 44,50) | Gonergrat (circuito completo de teleférico, com volta a Zermatt) CHF 82 (portador de Swiss Pass paga CHF 41; o desconto é de CHF 41) | Montreux via Zweisimmen (aproveitando a rota da Golden Pass Line a partir de Spiez) CHF 108 | St. Moritz pelo Glacier Express CHF 188 no verão e CHF 158 no inverno (portador de Swiss Pass paga a reserva: CHF 33 no verão ou CHF 13 no inverno; o desconto é de CHF 145 ) | St. Moritz em trens convencionais na mesma rota do Glacier Express. CHF 145 |

Para: Appenzell CHF 35 (bate-volta: CHF 70) | Basiléia CHF 32 (bate-volta: CHF 64) | Berna CHF 49 (bate-volta: CHF 9 | Chur CHF 39 | Chur com pit-stop em Vaduz (Liechtentstein) CHF 52 | Genebra (possibilidade de pit-stop em Berna ou Lausanne ) CHF 84 | Interlaken CHF 67 | Lausanne (possibiblidade de pist-stop em Berna ) CHF 71 | Lucerna CHF 24 (bate-volta: CHF 42) | Lugano CHF 62 | Montreux (possibilidade de pit-stop em Berna ou Lausanne ) CHF 76 | St. Moritz CHF 73 | Vaduz (Liechtentstein) CHF 37 (bate-volta: CHF 54) | Zermatt CHF 119 |

Para conferir preços atualizados, use o site da SBB. No próximo tópico eu ensino a usar.

--> COMO VERIFICAR PREÇOS DE PASSAGENS AVULSAS NA TARIFA NORMAL?

www.sbb.ch/en/timetable .

Insira origem e destino. Ponha uma data próxima (não precisa ser a data da viagem; no motor de busca desta página os preços não variam), num horário diurno (para aparecerem mais opções).

Pegadinha: na tela seguinte, não acredite no preço que aparecer. Aquele é um "a partir de ". O preço da passagem de ida será o exatamente o dobro do que está escrito.

Para pegar o preço correto, clique em "Fare/buy". Na tela seguinte, escolha entre um ticket "single" (ida) ou "outward and return" (ida e volta). Então selecione a opção "No reduction". Aí aparece o valor da passagem.

Querendo ver, em uma só pesquisa, os preços das passagens normais e das passagens Supersaver, veja mais abaixo.

Atenção: a Bóia não fará pesquisa de preço de passagem para leitores. Por favor, siga as instruções acima.

--> COMO FUNCIONAM AS PASSAGENS AVULSAS NA TARIFA NORMAL?

Você pode comprar sua passagem pela internet. em máquinas nas estações ou nas bilheterias de qualquer estação.

[Passagem avulsa]

O bilhete é válido durante todo o dia para o qual foi comprado, em qualquer horário -- contanto que você não mude a rota comprada. (Ou seja: se comprar Lucerna a Interlaken via Brienz, não pode ir de Lucerna a Interlaken via Berna). Você pode descer e subir do trem quantas vezes quiser ao longo da rota comprada; seu bilhete é válido num mesmo sentido durante todo o dia para o qual foi comprado.

Esmiuçando: se você comprar uma passagem de Lucerna a Interlaken via Berna, pode parar em Berna, descer do trem e seguir a Interlaken em qualquer outro horário mais tarde, desde que seja no mesmo dia. Mas se você resolver ficar em Berna e só seguir para Interlaken no dia seguinte, vai precisar comprar outro bilhete Berna-Intelaken, porque o bilhete original perde a validade à meia-noite.

Não é preciso fazer reserva de assento em trens convencionais (só em alguns trens panorâmicos). Os trens levam passageiros em pé (mas há um sobe-desce de passageiros a cada estação, então sempre acaba livrando um assento). Querendo lugar assegurado, você precisa ligar para 0900 300 300 ou entrar na fila de um guichê de estação.

Não é preciso validar o bilhete em nenhuma máquina. O fiscal, ao passar por você no trem, vai pegar a sua passagem e dar uma picotada, que é o código que mostra que ela já começou a ser usada. (Uma passagem sem picote pode ser parcialmente reembolsada.)

Reservas de assento em trens panorâmicos

Os sites oficiais de cada um dos trens oferecem esse serviço online. (Nos posts aqui do site sobre esses trens sempre há um link para o site oficial.)

--> SUPERSAVER TICKET: COMO FUNCIONA?

Essa novidade, reintroduzida em março de 2013, permite viajar de trem com desconto de até 50%.

Ao contrário do que acontece em outros países da Europa, a antecedência para compra é curta: os lugares, limitados, entram no sistema apenas 14 dias antes da viagem. A venda é unicamente online, num motor de busca à parte no site da SBB.

O Supersaver Ticket tem validade apenas no dia e no horário comprados. Se você perder o trem ou mudar de idéia, perde a passagem.

Por estar atrelada a um horário específico, o Supersaver não permite descer numa estação no meio do caminho e retomar a rota mais tarde no dia; nesse caso, é preciso comprar uma nova passagem.

É um tipo de passagem que funciona melhor em trechos simples ou bate-voltas de dia inteiro. Para pit-stop ou para conexão com trem de montanha, a determinação de horário (da volta ou da continuação da viagem no mesmo dia) pode causar problemas.

Além disso, com o itinerário engessado 14 dias antes, você não tem como fazer sintonia fina no dia a dia. Por exemplo: digamos que você vai ficar duas noites em Interlaken. Com um Swiss Pass (ou com passagens na tarifa normal) você pode decidir segundo a meteorologia quando sobe ao Jungfraujoch e quando faz o bate-volta a Berna. Mas se o bate-volta a Berna já estiver comprado um Supersaver, você perderá a passagem caso mude a ordem dos passeios.

Antes de saber se as tarifas Supersaver valem a pena no seu itinerário, é preciso ver se existem tarifas Supersaver compensadoras na época e nos trechos da sua viagem.

Aqui vai o passo a passo:

Ponha a data exata da viagem (para ter mais chances de conseguir a tarifa descontada, faça isso 14 dias antes da data, quando as ofertas entram no sistema). Insira origem e destino.

Na tela seguinte, escolha passagem de ida ou ida e volta, preencha nome e sobrenome e selecione “No reduction").

Clique em "next", e a página seguinte trará todos os preços para você: a tarifa normal (“Individual ticket”), a tarifa normal com direito a uso do transporte público na cidade do destino (“City ticket”) e as tarifas descontadas, se existirem (“bargain price”).

Daí é só fazer as contas e pesar prós e contras.

Atenção: a Bóia não fará pesquisa de preço de tarifas Supersaver para leitores. Por favor, siga as instruções acima.

[Glacier Paradise]

Atenção: a Bóia pode dar pitacos e dirimir dúvidas pontuais, mas não fará roteiros individuais para os leitores. Por favor use esses modelos como base. Agora fica fácil montar sua própria solução para o quebra-cabeça suíço.

--> E PARA FAZER A SUÍÇA DE CARRO?

Infelizmente não posso ajudar. Mas dou uma dica quentíssima: o ViaMichelin é o melhor gerador de roteiros rodoviários para a Europa (e a ferramenta está em português).

Ricardo Freire viajou à Suíça a convite do Swiss Travel System.

Source: http://www.viajenaviagem.com/2013/09/roteiros-trem-suica-swiss-pass

24.09.2020

New

31 2015 mar

Bilhete de avião para animais

Bilhete de avião para animais Regras Gerais A TAP Portugal aceita o transporte de animais na cabine ou no porão,...

02 2015 abr

Gol passagens baratas 2013

Gol passagens baratas 2013 Voos promocionais Gol com preços baixos - 2013 Neste final de semana, para não variar, temos mais uma ótima oferta promocional de voos baratos....

21 2014 feb

Passagens areas gol

Passagens areas gol Mais uma edição da promoção Cidades em Festa da GOL. Desta vez a cidade aniversariante que vai ganhar...

Popular on-line

Aviao da gol

Aviao da golO Boeing 737-800 da empresa Gol caiu, nesta sexta-feira no Mato Grosso com 155 ... Saber mais...

Comprar voos

Comprar voosTransfer e EstacionamentoCampanha de PublicidadeComo posso pagar os meus voos?A Ryanair aceita PayPal, cartões American ... Saber mais...

Sonho com viagem de avião

Sonho com viagem de aviãoSonhar que você perde algo pode significar que você realmente perdi algo ... Saber mais...

Testimonials

Bem-vindo ao nosso site! Aqui você pode encontrar os voos mais baratos e hotéis para sua viagem.”

equipa de desenvolvimento, Viagens Aviao

Os nossos parceiros