Viagem com

Viagem com

Diogo Vargas - União da Vitória

A história narrada pelo motorista Cássio Moura. 32 anos, morador de União da Vitória (PR), traz um sentimento de alívio para ele e pode ajudar a entender um pouco mais sobre as condições de segurança dos ônibus operados pela empresa Costa & Mar. a dona do veículo em que morreram 51 pessoas num acidente na Serra Dona Francisca, em Joinville, no sábado.

Cássio é motorista da Prefeitura de União de Vitória. Aos finais de semana e em dias de folga, ele costumava fazer viagens de excursões contratado como terceirizado pela Costa & Mar. Levava grupos para o litoral paranaense, como Guaratuba, litoral catarinense, e Paraguai.

Na semana passada, Cássio conta que estava tudo acertado com o dono da Costa & Mar, Cérgio Costa, para que conduzisse o grupo do centro de candomblé no passeio do fim de semana a Guaratuba.

Mas Cássio não viajou. O motivo, garante, foi um defeito no ajuste do cinto de segurança do ônibus da Costa & Mar em que viajaria. O motorista. que se diz invocado e não acredita em algo do destino, chamou o dono da empresa — eram amigos pessoais — para conversar e falou que não iria mais.

— Eu fiquei desconfiado com a minha segurança por causa do cinto. Não sei, mas não estava engatando direito, me senti incomodado e desconfiado. Então falei para o Cérgio que não ia mais fazer a viagem. Ele ainda riu e não falou nada — recorda.

Horas depois, Cássio conta que recebeu um telefonema da mulher de Cérgio dizendo que o próprio marido e dono, que também é motorista, faria o transporte do grupo. Cérgio e o filho dele, de 12 anos, morreram no acidente .

— Eu fiquei triste em não fazer a viagem, lamentei na hora, pois é sempre um dinheiro que entra. Independente do que aconteceu, eu não posso julgar, botar a culpa do acidente nele nem do carro — diz ele, que receberia R$ 350 para a viagem. o que ajudaria no orçamento de casa.

. Relatos da tragédia: "Famílias inteiras foram destruídas"

. Acidente na SC-418 é um dos maiores da história do país

Ônibus quebrou em Mafra

Cássio conta que o ônibus que viajaria quebrou em Mafra e então outro coletivo da empresa foi enviado para lá. Os passageiros foram realocados nesse outro ônibus. que tinha capacidade maior, mas era mais usado, e que ainda acabou recebendo ocupantes de uma Van do mesmo grupo que também teve problemas mecânicos na estrada, antes da Serra Dona Francisca.

— Ele (Cérgio) era bom motorista, cauteloso, não tem como dizer o que houve — resigna-se.

No fim de semana, com a notícia do acidente. o telefone não parou na casa de Cássio. Eram amigos e conhecidos querendo saber se ele estava ou não no ônibus acidentado.

Na manhã desta segunda-feira, Cássio seguia ao volante de um ônibus, desta vez o da Prefeitura de União da Vitória. Entristecido e reservado, levava os familiares e amigos dos mortos para o sepultamento no cemitério São Cristóvão .

O que diz a Costa & Mar:

O DC não consegui contato com nenhum representante da empresa. Na sede, as portas estão fechadas e não havia ninguém nesta segunda-feira até às 15h.

Source: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2015/03/defeito-no-cinto-de-seguranca-fez-motorista-desistir-da-viagem-com-grupo-4719547.html


*****

Viagem com

Getty Images

Guardar moedas estrangeiras em casa nem sempre é vantajoso

Você planejou bem os seus gastos durante os dias que passaria fora do país e, mesmo assim, retornou com moeda estrangeira na mala de mão. Agora, precisa decidir o que fazer com o dinheiro que sobrou. Será melhor trocar tudo por reais ou guardar para uma próxima viagem?

De acordo com o economista Franklin Lacerda, mestrando em Economia Política pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, vale a pena manter o dinheiro em casa se você for viajar de novo nos próximos meses. Nesse caso, as sobras serão muito bem aproveitadas. "Esse dinheiro servirá para gastos menores, para pagar um táxi ou comprar um café", diz Lacerda.

Porém, se não há nenhuma perspectiva de viajar para o exterior em breve, o mais indicado é converter o dinheiro em reais em uma casa de câmbio. Guardar qualquer soma na gaveta por anos pode significar perder dinheiro.

"Há sempre o risco de as cédulas mudarem e, nesse caso, elas deixam de ser aceitas em casas de câmbio de outros países", diz o economista Lucas Radd, planejador financeiro pessoal da WG Finanças. Também vale considerar o risco de ter o dinheiro furtado ou roubado e até de ver a moeda perder valor, dependendo do tempo e da situação econômica do país de origem.

Aliás, para chegar a uma conclusão, é importante que o cenário econômico seja avaliado. Por exemplo, se as previsões indicam que ocorrerá uma desvalorização do real em relação à moeda estrangeira e existe o plano de voltar àquele país num prazo de dois anos, vale a pena guardar. Agora, se a perspectiva for de valorização do real perante o dinheiro estrangeiro, o melhor é vender, embolsar a quantia e, se necessário, recomprar no futuro.

Exceções exigem mais atenção

Getty Images

Moedas metálicas devem sempre ser usadas antes de retornar ao Brasil. Isso porque elas não são aceitas em casas de câmbio. Ou seja, se perceber que ainda está com muitas moedinhas e a sua viagem está chegando ao fim, dedique-se a gastá-las no território internacional: dando gorjetas, comprando uma garrafinha de água ou pagando o transporte público. O importante é livrar-se delas.

Moedas que circulam menos, da Turquia ou da Rússia, por exemplo, também devem ser passadas adiante o mais rápido possível. O ideal é trocar as sobras no próprio país de origem, por dólares ou euros. Como as casas de câmbio brasileiras raramente encontram compradores para essas moedas, esses estabelecimentos optam por não aceitá-las.

"Franco suíço, iene e peso argentino já são mais comuns e podem ser trocados no Brasil. No entanto, é recomendável a pessoa entrar em contato com a casa de câmbio ou banco para verificar a disponibilidade de fazer essa conversão ao fim da viagem, pois muitas dessas instituições só trabalham sob demanda", explica o consultor financeiro Marco Harbich, da empresa de investimentos Guidance.

Trocar uma grande quantia de dinheiro é possível, mas é preciso bom senso

Getty Images

"Se estivermos falando de mil ou dois mil dólares, realmente não há problemas. Entretanto, caso o montante seja de 15 mil dólares ou mais, será necessário apresentar comprovantes emitidos por instituições financeiras brasileiras, indicando que o portador realmente adquiriu aquele valor nos últimos anos", diz Franklin Lacerda.

Já o turista que voltar de viagem com um cartão pré-pago ainda abastecido não precisará se preocupar em trocar rapidamente a moeda, por medo de desatualização ou roubo. Mas, para decidir se manterá o montante, é necessário analisar as cláusulas do contrato de prestação de serviço do dinheiro de plástico.

"Alguns cartões têm prazo de validade e taxas que podem ser cobradas a partir de determinado período de inatividade. Desse modo, vale a mesma regra do dinheiro em espécie: se não houver perspectiva de viajar em breve, troque a moeda estrangeira por moeda nacional", diz Lacerda.

Por fim, vale considerar que a prática – relativamente comum – de vender a moeda estrangeira que sobrou para um amigo ou parente pode resultar em problemas com a Receita Federal e, por isso, não é recomendada. "Esse tipo de negociação só pode ser feito por agente autorizado pelo Banco Central a operar no mercado de câmbio. Transações realizadas sem a intermediação desse agente são consideradas 'mercado paralelo'", explica o educador financeiro Adriano Severo Madeira.

  • Manual do viajante: saiba como evitar surpresas desagradáveis em viagens
  • Nem tudo é o que parece: evite armadilhas ao planejar sua viagem online
  • Atenção a vacinas, água e outros itens evita problemas de saúde na viagem
  • Perdeu o passaporte? Aprenda a lidar com esse e outros pesadelos de viagem

Source: http://viagem.uol.com.br/noticias/2015/02/03/voltou-de-viagem-com-dinheiro-estrangeiro-saiba-quais-sao-as-suas-opcoes.htm


*****

Viagem com

CIDADE DO CABO: África com jeito de Europa

É inevitável! Quando alguém pensa em realizar uma viagem para a África do Sul, logo vem à mente a visão de um safári em busca dos animais selvagens que habitam as savanas africanas. Afinal, crescemos vendo filmes no cinema e.

Istambul: magia entre palácios e mesquitas

Surpreendente, encantadora, fascinante. Vários são os adjetivos capazes de definir Istambul, a maior cidade da Turquia. Dividida entre a Ásia Ocidental e a Europa – apenas 3% do seu território -, reúne tudo o que um turista pode desejar em.

Índia: espiritualidade, divindades e algo mais

AUSTRÁLIA: Impossível resistir aos seus encantos

República Tcheca: da cerveja à arquitetura

Source: http://www.qualviagem.com.br/

28.11.2020

New

31 2015 mar

Preços promocionais de passagens aereas

Preços promocionais de passagens aereas gente entrando de madrugada na internet consigo preços expetaculares. tipo ja vi no jornal que de madrugada vendem...

02 2015 abr

Deixe um comentário abaixo.

Vender passagem aerea Na última terça-feira (12), a companhia aérea Gol anunciou uma nova forma de vender passagens. Agora a empresa comercializa seus tickets...

21 2014 feb

Passagens para goiania de aviao

Passagens para goiania de aviao Goiвnia - GO Goiвnia й a capital do estado brasileiro de Goiбs e...

Popular on-line

Aviao da gol

Aviao da golO Boeing 737-800 da empresa Gol caiu, nesta sexta-feira no Mato Grosso com 155 pessoas a bordo. Os integrantes da Forзa ... Saber mais...

Qual é a diferença entre a classe turística e classe executiva?

Hoje em dia podemos encontrar bilhetes acessíveis  praticamente em qualquer companhia aérea do mundo. Por exemplo: para os estudantes ou reformados. Frequentemente as ... Saber mais...

As melhores ofertas de voos baratos de todas as companhias aéreas e também low cost estão aqui

Actualmente para qualquer potencial viajante, passou a existir uma possibilidade de adquirir passagens aéreas para qualquer voo com condições muito atractivas, sem sequer ... Saber mais...

Testimonials

Bem-vindo ao nosso site! Aqui você pode encontrar os voos mais baratos e hotéis para sua viagem.”

equipa de desenvolvimento, Viagens Aviao

Os nossos parceiros